Translate

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Saturno em Capricórnio

                     

            Saturno em Capricórnio

          A chegada de Saturno ao signo de Capricórnio em dezembro de 2017* foi seguida por várias análises que apontavam para o recrudescimento do conservadorismo e os perigos da seriedade e ambição excessivas. Se Saturno é o organizador da nossa experiência concreta, ainda que interna, o medo generalizado de seus métodos, que privilegiam a aprendizagem pelo sofrimento, foi exaltado por astrólogos e temido pelos clientes que buscam a orientação astrológica. Amigos quase totalmente leigos em Astrologia me perguntaram assustados como poderiam passar pelo trânsito de Saturno em Capricórnio sem sofrer muitos reveses, o que demonstra a força dessas imagens no coletivo.
          Entre os astrólogos, já há quase um senso comum de que Saturno pode ser encarado tanto como um pesado fardo quanto como uma sólida base para o desenvolvimento de habilidades e aprendizado. Dito de outro modo, as experiências propiciadas pelo planeta podem criar estruturas construtivas ou obstrutoras, servindo como um trampolim ou como barreiras para o crescimento pessoal. A demanda por concentração, responsabilidade e foco para a obtenção de resultados concretos nas diferentes áreas da vida por onde Saturno passa pode ser uma prova considerada quase intransponível por alguns. De qualquer modo, as recompensas geralmente são observadas após o longo, árduo e complexo processo de trabalho e esforço exigido.
          Assumindo o papel de Grande Mestre, do anjo caído que desempenha uma função educativa, de pai crítico ou do SUPEREGO, Saturno conduz a um isolamento naquelas áreas onde ele está transitando no mapa natal. Em trânsito, traz a qualidade do tempo de amadurecimento das questões que estão em movimento em cada casa. O “senhor do tempo” fecha os ciclos, arruma a bagunça, joga fora o que não serve mais e que está acumulado nos cantos juntando poeira. Como destaca Arroyo, o planeta torna evidente a importância do tempo para que o processo interno se realize por completo, especialmente porque apresenta um alto potencial educativo, especificamente em relação à paciência, moderação, temperança, dever e trabalho.
          Liz Greene menciona Jung em sua abordagem da Astrologia Psicológica, afirmando que Saturno representa a SOMBRA, isto é, as características que temos e que o superego tenta esconder a todo custo, e, por isso mesmo, acabam projetadas no outro. De alguma forma, portanto, o desafio de Saturno está nas lições que o sujeito precisa ter para conseguir se desenvolver plenamente do ponto de vista psíquico. Mais do que estabelecer verdadeiras limitações externas, portanto, Saturno projeta na realidade exterior os conteúdos que estão presentes internamente ao indivíduo, para que ele próprio consiga desenvolver todo o seu potencial.
          Ao chegar ao signo que rege, o planeta pode exibir-se em toda a sua plenitude. Sentindo-se confortável no território capricorniano, Saturno tem espaço (e tempo!) para trabalhar os temas da materialização, da ambição, da disciplina, da autoridade e do reconhecimento social. Objetividade, foco nos resultados, razão, prudência, solidez e uma determinação inquebrantável surgem naturalmente nesse território. A cabra Amalteia, de quem Júpiter se alimentou no tempo em que cresce até ter idade suficiente para destronar seu pai Saturno, segundo o mito, simboliza a perseverança.
          Capricórnio é o arquétipo, portanto, do comportamento pragmático e racional, organizado, estável e determinado rumo aos objetivos traçados. Responsabilidades, especialmente públicas ou com os demais, e o dever, assim como a honra, são temas capricornianos. Autoridade, seriedade e reconhecimento público dessas qualidades transparecem como essenciais.
          Se levadas aos extremos, contudo, essas características podem desembocar no autoritarismo, na tentativa de controle total sobre os outros e as situações vivenciadas, na inflexibilidade e na estreiteza de horizontes. O esforço é louvado sobre o talento, o cumprimento dos deveres é sempre mais importante que o prazer, a rigidez emocional não tolera desafios aos próprios valores, o diferente não se encaixa no pragmatismo e utilitarismo das rotinas desenhadas para o alcance das metas. Afinal, o que mais teme Saturno é a possibilidade de escárnio público, por isso o zelo pela própria imagem e pelo respeito à própria autoridade pode se tornar uma obsessão capricorniana.


por Cristiane Brum Bernardes

* Em 2020 Saturno deixa o signo de Capricórnio pela primeira vez no dia 22 de Março. Ele avança no signo de Aquário até o dia 11 de Maio de 2020, quando fica retrógrado.