Translate

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Interpretação do Mapa Natal - Parte I - Esboço

         Interpretação do Mapa Natal

                               

                                Parte I - Esboço



   Partindo das milhares de possibilidades de iniciar uma interpretação do Mapa escolho a que mais define a minha visão da Astrologia, uma visão prática, simples e direta, sem muita citação das simbologias (astrologuês) e sim o que detecto na análise dos símbolos e como eles podem ser útil para planejamento, foco, direcionamento e aprimoramento dos arquétipos ali colocados. Pontos importantes como Ascendente/Descendente, Cúspides (grau e signo em que começam as casas) e Meio do Céu/Fundo do Céu. A seguir as Regências (planeta relacionado com os signo da cúspide das casas e sua localização, casa, signo e aspectos.
   No primeiro passo vou localizar a pessoa que está requerendo a leitura, vou visualizar o posicionamento do Sol, signo, casa e aspectos. Partindo daí entro em contato com as potencialidades, luz e sombra da pessoa real.Imediatamente busco a Lua, signo, casa e aspectos. Vejo o filtro pelo qual tudo passa, as emoções, o que toca, o que rejeita, como o inconsciente se manifesta nas atitudes, nos quereres e as dores da alma. Aqui é necessário muito respeito e cuidado pelo outro, o que ele suporta ou não. Não quero dizer com isto que não vou falar o que penso, interpreto, mas sim a necessidade de profundo respeito e cuidado com as susceptibilidades de cada posicionamento lunar. Para o outro o mesmo que quero para mim.
   Passo seguinte vou analisar as casas que Sol e Lua regem. A casa que se encontra Leão e Câncer/Caranguejo na cúspide. Casa de Leão onde precisamos ser reconhecidos e onde nos sentimos um sucesso ou um fracasso total, tem relação com o nosso pai e o que pensamos que ele espera de nós, e pode definir como cremos que é ser bem ou mal sucedido na vida. Independente de ter ou não pai presente, porque isto não é ele e sim como nós o vemos. A casa onde está Câncer/Caranguejo oscilamos, como as marés, dependendo das nossas questões/estados emocionais e que tem grande influência da mãe e da leitura que temos dela. A Lua não é como nossa mãe é, e sim como nos sentimos em relação a ela, como a vemos. Isto tende a definir nossos pontos frágeis, o que nos magoa profundamente e muitas vezes interfere na nossa racionalidade, o filtro definindo o que é aceitável ou não. O que ela nos disse, em atitudes ou palavras, que era o certo a fazer, se comportar.

Exemplos 1 - Sol em Touro na casa VI com Leão no Meio do Céu – Preciso me destacar, ser alguém, aparecer, ser vista e reconhecida publicamente, não é vaidade é necessidade para definir minha identidade. Preciso saber que para isto vou contar com minha resistência, plantar uma boa semente, respeitar os ciclos de começo, meio e fim para ter o resultado almejado, Sol na casa VI que é a casa onde analisamos os comportamentos cotidianos, como organizamos a nossa vida, saúde e relações práticas. Posso ter um pai que considero um fracasso como pai, profissional ou os dois, mas isto é só o que penso dele e não a realidade necessariamente, os aspectos entre o Sol e a Vênus, regente de Touro, podem aprimorar esta interpretação. Mas isto leva a almejar sucesso mundano, querer reconhecimento público. O caminho desta realização está no arquétipo de Virgem, casa VI, ordem, critério, organização e objetividade serão de grande utilidade. A casa onde está o Sol é seguramente onde temos natureza, qualidades, ferramentas para realizar nossa natureza.

Exemplo 2 – Lua em Virgem na casa V com Câncer na casa III – A comunicação e o pensamento lógico é afetada pelas emoções, por um profundo sentimento de servir. A capacidade cognitiva é afetada pela relação com a mãe, ancestralidade e uma necessidade atávica, herdada dos femininos familiares, servir. Tem dificuldade em gerenciar de forma lógica os pensamentos, tendência a se colocar de forma inferiorizada frente a sua capacidade intelectual. Pode provocar bloqueios ou desenvolver uma mente sensitiva e propensa a paranormalidade, intuitiva. Precisa reconhecer esta capacidade e deixar de traduzir tudo de forma pragmática e restrita. A visão da mãe pode ser de alguém que não corresponde as expectativas, simplória, inferior, humilhada e até incapaz. A posição da Lua por signo, casa e aspectos é onde acontecem oscilações relacionados com o passado e o presente, o real e o imaginário, precisa-se aprende a lidar com isto para que não condicionar a expressão, o trato com os filhos e as relações amorosas, casa V, a atender somente necessidades práticas de sobrevivência material unicamente. Uma visão mais realista da mãe, neste caso em particular, pode ajudar com a comunicação e o aprimoramento do pensamento.
   A partir daí lanço o olhar ao Ascendente e posicionamento do regente, para identificar a trajetória e por onde ela se desenvolve. O Meio do Céu, destino, profissão e papel no coletivo mais o seu regente e a casa que ocupa. A seguir os planetas pessoais, Mercúrio, Vênus e Marte, signos, regências, casas e aspectos. Mas isto fica para a próxima, da série: Interpretar um Mapa Astral não é para principiantes.