Translate

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Mitologia – Mitos (Sonhos Coletivos)



         Mitologia – Mitos (Sonhos Coletivos)


   Segundo Jung “os mitos são principalmente fenômenos psíquicos que revelam a própria natureza da psique”. Os mitos condensam experiências vividas repetidamente durante milênios, experiências típicas pelas quais passaram (e ainda passam) os seres humanos. Por isso temas idênticos são encontrados nos lugares mais distantes e mais diversos. A partir desses materiais básicos é que sacerdotes e poetas elaboram os mitos, segundo as épocas e culturas. (Nise da Siveira – Jung Vida e Obra).

Amor e Relacionamentos – Na Visão dos Mitos   

   O amor, como dizem, faz o mundo girar. A quantidade de mitos que falam de paixão e repulsa, casamento e separação, amor e rivalidade, fidelidade e infidelidade sexuais e do poder transcendental da compaixão sublinha a importância central do amor em nossa vida. Não há variação em torno do tema dos relacionamentos que não se possa encontrar na mitologia mundial. E, por serem muitos complexas as relações humanas, a moral apresentada nos mitos é igualmente multifacetada. Não há enigma maior do que o mistério de por que as pessoas se atraem ou se repelem, e é comum buscarmos respostas simples para perguntas um enorme esforço da alma até para serem adequadamente formuladas. Os amores e desgostos dos mitos aparecem sob muitas formas e cores, e alguns são claramente insólitos. Mas, ainda que algumas dessas histórias questionem muitos de nossos pressupostos morais sobre os relacionamentos, os mitos relativos ao amor também nos consolam de nossa infelicidade, servem de guia para nossos dilemas e trazem um discernimento duramente necessário sobre as razões pelas quais, em nossa vida pessoal, às vezes criamos os dilemas que criamos, ou que vivemos.

Paixão e Rejeição

   A paixão sexual é retratada na mitologia como uma força mais poderosa que qualquer outra, capaz de levar homens e deuses a atos que contrariam sua vontade e não raro terminam em tragédia. Os gregos atribuíam tal paixão à obra da deusa Afrodite, que apesar de atormentar homens e mulheres com paixões incontroláveis, era capaz de levar a loucura e a destruição aos que a ofendessem. Mas a paixão em si não é retratada como uma força negativa ou imoral: está aliada à força, à coragem, à potência sexual e à reação da alma à beleza; reflete o poder e a tenacidade da própria força vital; e, por ser inspirada pelos deuses, é sagrada. A mitologia nos ensina que o modo como os mortais seguem suas paixões e o grau em que a paixão domina a consciência é que são as verdadeiras fontes de sofrimento, da rejeição e até da catástrofe.

Liz Greene@Juliet Sharman-Burke – Uma Viagem através dos Mitos

segunda-feira, 25 de abril de 2016

A Lua nos Signos e o Cotidiano



             A Lua nos Signos e o Cotidiano


   Com a Lua em trânsito por Sagitário, conjunta ao meu Sol Natal, vejo a oportunidade de esclarecer o papel dela em nosso dia a dia, e como seu posicionamento pode ajudar a planejar as nossas vidas.
   A Lua, para a Astrologia, representa a mãe arquetípica e as nossas emoções, fica aproximadamente 2 dias em cada signo. Acompanhando diariamente seu movimento, podemos aproveitar sua luz e evitar a sombra, próprios de cada signo em que ela passa. Se pudermos adiar os assuntos que não estão positivos teremos uma margem maior de acerto, entre tantas variáveis que a vida proporciona. A Lua atua no humor das pessoas, quem trata com o público percebe isto muito claramente.

Lua em Áries – As pessoas ficam mais entusiasmadas e cheias de energia, mas agressivas e impacientes. Beneficia atividades individuais e desfavorece iniciar o que queremos que seja de longa duração.

Lua em Touro – Ficamos mais afáveis e calmos, mas teimosos e com preguiça. Beneficia as atividades financeiras, investimentos de longo prazo e compra de bens duráveis.

Lua em Gêmeos – Bom humor e agilidade, mas maior instabilidade e inconstância.
Favorece as comunicações, divulgações e estimular a curiosidade por novidades. Negócios fechados nesta Lua podem não durar.

Lua em Câncer – Carência e hipersensibilidade, tendência a buscar proteção e carinho. Favorece os assuntos particulares, encontros familiares. As pessoas ficam mais interessadas em melhorar o ambiente doméstico. Vamos lidar com a carência alheia.

Lua em Leão - Extroversão e calor humano, mas tudo será levado para o lado pessoal, o orgulho está no ar. Bom período pára se divertir e realizar atividades criativas. Chamar a atenção, brilhar e realizar eventos grandiosos e glamurosos.

Lua em Virgem – Aumenta a prestatividade e a simplicidade, mas as pessoas ficam mais exigentes e perfeccionistas. Assuntos de limpeza, organização, saúde e dietas estão favorecidos e tudo o que precisar de praticidade. Cuidar com excesso de crítica.
m nossas vidas. Aumenta o magnetismo e favorece as análises profundas e a pesquisa. Aumenta a sensibilidade e o psiquismo.

Lua e
Libra - Nos comportamos de forma mais diplomática e sociável, mas tendemos a indecisão e maior dificuldade em dizer "não". Favorece os assuntos legais, relacionados a beleza, aprovação de projetos, obter favores e os encontros românticos.

Lua em Escorpião - Intensidade e profundidade são os temas desta Lua. Descartar definitivamente o que perdeu a validade em nossas vidas. Aumenta o magnetismo e favorece as análises profundas e a pesquisa. Aumenta a sensibilidade e o psiquismo.

Lua em Sagitário - Expansão e otimismo, busca de novos horizontes e maior capacidade de entendimento. Podemos ter dificuldades de concentração e tendência ao desperdício. Devemos focalizar nos assuntos que gostaríamos que fossem amplamente divulgados.


Lua em Capricórnio - Objetividade e produtividade, ficamos mais fechados e frios. Iniciar atividades que precisem de obstinação e paciência. Adquirir bens duráveis, iniciar construções e fechar negócios que renderão lucro a longo prazo.

Lua em Aquário - Estimulo mental, muita criatividade e originalidade. Fase em que podemos decretar nossa libertação de padrões obsoletos e revolucionar, as pessoas ficam mais abertas as novidades. Favorece as questões do coletivo e os assuntos sociais, ficamos agitados e propensos a transgredir. Ter conversas francas e diretas, encontrar os amigos e fazer novas amizades.

Lua em Peixes - Maior sensibilidade e empatia, mas maior fragilidade e somatização. Favorece o repouso e a meditação, atividades que precisem da empatia com o público. Não tratar assuntos que precisem de realismo e praticidade, sonho e imaginação são os temas desta Lua impregnada de fantasia e encantamento.

domingo, 24 de abril de 2016

Lua, Marte e Saturno em Sagitário e Vênus e Urano em Áries


Lua, Marte e Saturno em Sagitário e Vênus e Urano em Áries


   Com a Lua em Sagitário, preste a fazer conjunção com o meu Sol Natal, me deu uma súbita vontade de voltar a escrever sobre a Lua, seus posicionamentos e aspectos que faz nos dias que visita cada um dos 12 signos.
   Esta Lua em Sagitário na fase Cheia, tempo de perceber os resultados do que foi encaminhado na Lua Nova, que iniciou em 22 de abril as 02:23hs está se encaminhando para conjunção com Marte e Saturno em Sagitário, isto se dará neste início de semana.
   Esta será a finalização de um ciclo que teve seu início na última Lua Nova que se deu em Áries no dia 07 de abril 2016 as 08:23hs.
As casas, cenários da vida no Mapa Astral, que estes signos, Áries e Libra, ocupam são as áreas que verão resultados nesta Lua Cheia Sagitariana em aspecto de conjunção com Marte e Saturno e trígono com a Vênus e Urano.
   A Lua Cheia expande, amplifica e esclarece, transborda e traz a tona. Viveremos dias muito esclarecedores e didáticos. Quando a Lua toca um signo ela potencializa o lado emocional deste arquétipo, então estaremos sensibilizados a lei, a filosofia, as crenças, a fé e ao aprendizado em alto nível.      Ao fazer conjunção a Marte, o ímpeto pode ser de muita agressividade, pois falamos de emoção e ação, mas a presença de Saturno em Sagitário anda nos dizendo que a lei deve ser cumprida, caso contrário arcaremos com resultados restritivos e paralisantes. Saturno em movimento retrógrado até 13 de agosto de 2016, nos dá a possibilidade de rever tudo que estamos vivenciando, rever posições e até mudar de postura frente aos fato, a partir daí estarão estabelecidos e as penas serão proferidas. Saturno nos fala das nossas responsabilidades e restrições, somos responsáveis pelo que cremos e seremos coagidos a nos responsabilizar por isto. Não há alternativas fora do aprendizado pela sabedoria ou da dor.
   A Vênus em Áries nos mostra os valores através do impulso ariano, conjunta com Urano indica um período de mudanças inexoráveis, repentinas que podem ser catastróficas se teimamos em resistir, não mudar. Será necessário rever e modernizar.



sexta-feira, 8 de abril de 2016

Dando o ar da graça – Um parecer astrológico


Dando o ar da graça – Um parecer astrológico

   
   Sei que ando extremamente ausente deste blog, mas o motivo é justo, justíssimo. Tem a ver com a minha visão e prática astrológica, de não fazer interpretações opinativas e pessoais dos posicionamentos dos astros.
   O momento que vivemos no Brasil e no Mundo, creio eu, é delicado e requer cuidado extremo para se manifestar. Amo e respeito muito o pensar astrológico, sim, pensar, referência, método, para usá-lo para fins vis e circunstâncias como a política, a economia ou para dar opiniões que de nada contribuem para esta ferramenta secular, tão útil como referência e não fim. Embora não veja muito esta prática, mas eu a defendo com unhas e dentes, mesmo que isto não seja muito popular ou comercial.
   Os posicionamentos dos astros indicam uma infinidade de possibilidades, estamos falando de arquétipos, que se manifestam em todos, de formas particulares e pessoais, países, pessoas etc etc.
   A Astrologia não define nada, ela indica possibilidades, amplia o leque de ação, analisa o todo, através dos posicionamentos de Saturno, Júpiter, os Sociais, Urano, Netuno e Plutão, os Trans saturninos, que nos rementem para uma visão orbital fora da nossa alçada, das circunstâncias imediatas, para uma visão cósmica da vida e seus ciclos.
   Começando por Plutão, o mais distante, já mergulhado no Universo, em Capricórnio. Penso que este ciclo nos remete a um movimento de ruptura das energias que mantêm este Sistema Solar na forma como o conhecemos até aqui. Netuno em Peixes é a passagem para uma nova possibilidade de crer, Urano em Áries é a revolução das atitudes individuais, para que possamos entregar para as próximas gerações formatos de comportamento mais humanizados, solidários e com maior noção de grupo, enquanto seres da natureza. Urano é o coletivo, os grupos.
   Chegando mais próximo do nosso Planeta Terra, Saturno em Sagitário nos indica as restrições éticas, de credibilidade e questionamentos sobre leis e formas do convívio coletivo. Gosto de chamar do braço pesado da lei. E agora o maior e mais perto de nós, Júpiter, o gigante do nosso Sistema, em Virgem, extrapolando na faxina. Como alguns de nós põe a casa em rebuliço para limpar em baixo, nos cantos e fazer a limpeza geral, o mais completamente possível.
   Dada estas impressões podemos, creio eu, analisar as circunstâncias em que estamos inseridos pela ótica astrológica, qualquer interpretação dos fatos privilegiando esta ou aquela tendência é especulação tendenciosa. Para não capitular a esta prática que condeno, humana que sou, tenho me dedicado a atuar mais intensamente nos domínios de Vênus, Mercúrio e Marte. Valores, Pensamento/Comunicação e Ação/Atitude, enquanto ser vivente neste instante Universal, porque é o que somos, menos até que isto, nos ciclos das Galáxias.
   Pretendo voltar em breve, se algo tiver que acrescentar, nunca antes disto. Mais que qualquer rótulo profissional sou um ser coletivo que pretende fazer a sua parte, Sol na X, dar a sua contribuição ao coletivo, Ascendente e Marte em Aquário, de forma responsável, Saturno na X, engajada, Júpiter e Urano em Câncer na VI, e ética, o meu lindo Sol em Sagitário.

Até breve!