Translate

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Vênus em Escorpião 2015

               Vênus em Escorpião
   Até 30 de dezembro de 2015 Vênus estará em Escorpião e fará trígono com Netuno e Quíron em Peixes. Durante estes dias devem ocorrer profundos impactos nos relacionamentos de toda ordem, pessoais, emocionais e comerciais, as questões sendo tratadas a base do “tudo ou nada”, dissolvendo, agravando e curando. É tempo de adequar valores para a passagem de vibração e formatação das bases do que é essencial e o que é nocivo, em tempos de quadratura de Plutão em Capricórnio com Urano em Áries. Mercúrio em Capricórnio se encontrará com Plutão oportunizando rupturas comerciais e métodos de controle das mentes através da comunicação, desvendando métodos e práticas espúrias. Podem acontecer debates e manifestações acaloradas e até violentas. Júpiter em Virgem beneficiando os valores(vênus) básicos de preservação da vida, em quadratura com Saturno em Sagitário cobrando justiça e ética, manifestado em restrições, demoras ou solidez e estruturação, vai depender como vamos encaminhar. 
   O clima tenso, suspeitas, desconfianças nas negociações e nas relações afetivas como um todo. Estes posicionamentos podem ressaltar a sensação de rejeição e o medo da traição. Emoções doentias como o ciúme exagerado e a tendência a fantasiar inimigos ou opositores imaginários.
   Vamos precisar exercitar a cautela e o bom senso, as rupturas feitas nesta época podem ser dramáticas e gerarem ressentimentos desproporcionais e violentos. Dias de reações viscerais com sede de vingança. 
    Vênus é regente de Touro/Libra e em Escorpião está em exílio. Isto quer dizer que esta Vênus tem suas características e performance limitadas ou subordinadas às características de Escorpião, que por natureza é avesso a superficialidade e as relações mornas. Quando esta Vênus se abre para um relacionamento é porque ele promete profundidade, inspira confiança e lealdade. Em conjunção com Saturno em Escorpião faz questão de compromisso, pacto, vínculo. Aqui a Vênus se expressa intensa e comprometida.
   Quem nasce com esta posição da Vênus são amantes exigentes e intensos. Sensibilidade para aprofundar o amor e no sexo sem limites. Intensos, passionais, intuitivos e telepáticos. Vão ao âmago das questões, olham nos olhos e exige honestidade, fidelidade e entrega total.
   Não rompem os relacionamentos em crise, são atraídos e sentem prazer nas dificuldades, buscam regeneração. Nunca se deve trair uma Vênus em Escorpião, ela vai virar as costas e sumir ou reagir violentamente. Podem passar grandes períodos sem ter um relacionamento por serem tão exigentes. Quando se sentem amadas e seguras recompensam como nenhuma outra, na arte de amar e ser parceira. Como amiga é uma pessoa amorosa e leal.
   No plano material é super exigente e sabe batalhar pelo que quer, gosta dos bens materiais que trazem poder. Vivem paixões controladoras que beiram a morbidez. Podem entrar em estado depressivo se traídas ou abandonadas.
Sedutora, encantadora, conhecedora profunda da arte do amor e do sexo, seu maior desafio é a intensidade e o altíssimo grau de exigência. Buscam parceiros que tenham conhecimento e inteligência emocional desenvolvida, caso contrário podem ficar paranoicas e focar num erotismo exacerbado. São pessoas dramáticas e sem limites na expressão da sua afetividade, tem necessidade de possuir e controlar o outro.
   As pessoas com Vênus em Escorpião precisam canalizar sua energia sexual e intensidade, são grandes cirurgiões, bruxos e terapeutas. Precisam cuidar da saúde emocional, descobrir que ao se perder são necessários os meios para se achar. Os órgãos sexuais e todo o aparelho reprodutor são os pontos psicossomáticos.
   Vênus dos detetives, policiais e investigadores me faz lembrar François Truffaut, cineasta francês e autoridade na obra do mestre do suspense Alfred Hitchcock, que declarou certa vez que era impossível não notar que ele filmava cenas de amor como cenas de crime e cenas de crime como cenas de amor. “Acontece que, nos filmes de Hitchcock, fazer amor e morrer são a mesma coisa", conclui Truffaut... Nada mais Vênus em Escorpião!

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Vênus em Libra 2015

                 Vênus em Libra 2015

   Vênus para os romanos, Afrodite para os gregos, Netzack/Árvore da Vida, sétima esfera na Cabala. Para a Astrologia representa o feminino, como encontramos prazer, valorizamos, interagimos e somos agradáveis.
   A posição que Vênus ocupa no nosso mapa natal diz onde as experiências nos dão prazer e podemos agradar os outros. No mapa dos homens representa o feminino que se identifica.
   Vênus é a Deusa do amor e da beleza, associada a venéreos e afrodisíacos, ambos relacionados ao sexo. Afrodite era a mãe de Eros de onde vem a palavra erótica, rege dois signos do zodíaco Touro e Libra, em cada uma das regências manifesta um traço da Vênus.
   Em Touro é material, física e ligada à excitação dos sentidos. O prazer da comida, nos sentidos e no exercício deles, sexo e prazer e as formas de obtê-los.
   Vênus representa a beleza, em tempos de padrões estéticos definidos por interesses, deixa as pessoas frustradas em relação a sua própria beleza, pela dificuldade de se encaixar nos padrões. A Vênus/Afrodite nasceu da espuma que se formou dos testículos de Urano que foram jogados no mar, ou seja, simbolicamente livre de padrões. Nasceu adulta e pronta para se relacionar, e este é o padrão da Vênus que rege Libra, a cópula, interação, sedução, ter prazer com o outro.
   Vênus rege o amor, o tesão e não necessariamente o romance, é o fogo que arrebata e nos impulsiona para fora de nós, para o outro.
   A mais bela e graciosa das deusas casas com Hefesto, o mais feio e mal-humorado dos deuses, por isto a Vênus em nosso mapa pode estar relacionada a coisas não muito agradáveis, que precisam ser resolvidas, e sua presença suaviza e deixa mais leve estas experiências.
   Quando em trânsito por Libra traz a atração e o prazer, o que sentimos com a beleza, as artes e todas as atividades sensoriais, e a necessidade de integração e interação com o outro. Rever a importância e a qualidades das alianças, equilíbrio de forças políticas e a necessidade de rever normas, leis e critérios que normatizam o convívio social, profissional e pessoal.
   A Vênus em Libra nos indica o prazer e o valor do equilíbrio, harmonização das forças opostas, diversas e múltiplas. Pessoalmente nos impulsiona a prática que podem equilibrar a nossa mente e que devem trazer paz e harmonia para as nossas vidas. Buscando o valor que existe na tranquilidade, que se instala em nós, através da compreensão e aceitação do outro e de nós mesmos.
   No seu trânsito por Libra estará em oposição a Urano, que transita em Áries desde março de 2011 até maio de 2018, estilhaçando formas superadas, preparando a humanidade para o novo ciclo, mudando atitudes, ampliando os limites formais, destruindo preconceitos e evoluindo comportamentos. Fará quadratura com Plutão em Capricórnio, desde novembro de 2008 até janeiro de 2024, as relações pessoais serão intensas e até violentas, trazendo o pior da falta de ética (Saturno em Sagitário), embates e escândalos, proporcionando a Humanidade reformular, transmutar valores e praticar a maior prova de inteligência e sabedoria, exercitar o equilíbrio nas relações, através do respeito mútuo.
   De 08 de novembro a 05 de dezembro de 2015 será um período de reavaliação e debates dos padrões que regem o convívio social, da necessidade que temos de mudar valores que não mais se compõe com o Novo Mundo, Nova Era e a Nova Humanidade.
   O Ascendente/Nascimento (Áries), o Descendente/Relacionamentos (Libra), Meio do Céu/Missão (Capricórnio) e o Fundo do Céu/Origem (Câncer) são pontos Cardinais. Os signos Cardinais são aqueles que dão impulso, começo, iniciativa, criatividade, projeto, ideia, origem das coisas, conferem atividade, energia, coragem, audácia, rapidez, pioneirismo, ambição, ardor, autenticidade, senso de direção e de prioridade, mas também podem se manifestar com agressividade, ausência de ponderação, imediatismo, despotismo e dispersão.
Devemos sair deste trânsito com a certeza que se expandir passa por compartilhar, idéias, conhecimentos e conquistas. Reescrever o ditado: “Farinha pouca meu pirão primeiro” para “Farinha pouca compartilhada pirão para todos”.
   Vamos concluir que convivendo neste universo cíclico, todos habitando o mesmo planeta Terra, o que acontece com um se expande para todos, embora muitos de nós acreditemos que através do poder, escravização, manipulação das informações, das mentes dos semelhantes e dinheiro, que estão acima do “bem e do mal”. O certo é que só geram escassez, doença, violência e infelicidade para todos.
   Quando evoluímos nossos valores e comportamentos, mudamos nossas relações íntimas e profissionais, contribuímos com as mudanças na sociedade e transformamos o mundo.
   Escolhi a pedra relacionada ao arquétipo de Libra, a Opala Vulcão, como imagem desta postagem, para que a sua energia traga boas vibrações para os nossos pensamentos, comportamentos, relacionamentos e nos estimule a fazer as mudanças que são tão necessárias.


segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Mercúrio em Escorpião 2015

          Mercúrio em Escorpião 2015

   No dia 02 de outubro 2015 Mercúrio inicia trânsito por Escorpião. O planeta da comunicação e de como processamos as informações, revela o funcionamento do raciocínio concreto e capacidade de codificar e decodificar as experiências. Através desse planeta identificamos o abstrato, no  signo que se encontra aponta a forma como aprendemos. Ele é o principal ponto de referência sobre a capacidade intelectual.
   Escorpião é o oitavo signo do zodíaco, regido por Marte e Plutão. Tem como características a perspicácia, grande força de vontade, obstinação, capacidade de ver além das aparências, grande riqueza de recursos interiores, coragem, perseverança, busca intensa das transformações ainda que dolorosas.
   Lidar com desafios que podem gerar dor psicológica, perder coisas valiosas, estímulos que os colocam frente a frente com emoções pouco aceitas socialmente. O medo, a agressividade, violência e os ressentimentos de um modo geral, as mágoas, a crueldade, estímulo a lembranças dolorosas e cármicas. Esta mente é capaz de viver em reclusão autoimposta para resolver seus problemas mais íntimos, estudar ou fazer vários tipos de terapias, inclusive às transpessoais.
   Neste período de Mercúrio em Escorpião, até 20 de novembro de 2015, amplia-se a capacidade de lidar com tudo aquilo que é doloroso de um modo geral, como tratar de doentes em fase terminal e tudo de mais oculto e rejeitado na nossa mente. As psicopatias são identificadas e tratadas nestes períodos.
Podem existir experiências que nos aproximem da morte de fato, por isto, aprender a lidar com as fatalidades do dia a dia.
   Quem tem Mercúrio em Escorpião são pessoas profundas, obsessivas, altamente possessivas, sutilmente manipuladores e tenazes em suas metas, agem por compulsão, são inquietas, insatisfeitas, sofrem mecanismos de repressão interna, têm lembranças dolorosas de fatos passados ou recentes.
   Com a Vênus, Marte e Júpiter em Virgem a experiência do amor continua contida, comparado a funções biológicas, a cumplicidade a prestação de serviço, dedicação e a subjugo. Pode ter uma incidência maior de separações se a relação for descomprometida, detonando aspectos cruéis da personalidade que podem derivar dependência, falta de autoestima, em carências desmedidas, dominação do parceiro pelo excesso de servilidade ou exigência de perfeição, própria ou do outro. Período próprio para procurar tratamento para problemas sexuais, frigidez ou má formação/mudanças dos órgãos genitais.
  Rever os valores (Vênus), revisar as bases (fé, ética e conhecimento) em que nos apoiamos (Saturno), e quais desejos nos movem e para onde nos levam.
   Escorpião é o signo do dedo na ferida, é o gosto pela crise, ao mesmo tempo seu oposto Touro lida com valores materiais, os prazeres e a segurança que estes podem proporcionar. É hora de acertar as contas.
   Nestes dias podemos ter atitudes corajosas, superar medos e enfrentar as consequências, consciência tranquila e estrutura firme, o escuro está vindo à tona.
Tendências a violência doméstica, urbana, assédio moral e todo o tipo de ações agressivas, deveram cultivar atitudes respeitosas, não invadir a privacidade e o direito dos outros, os resultados podem ser imprevisíveis.
   Na saúde as doenças sexualmente transmissíveis estarão na pauta com maior seriedade, podem surgir novas DST mais resistentes, doenças epidêmicas, principalmente as de pele. Mercúrio em Escorpião desenterra as dores inconscientes, trás a tona para curá-las, através da descoberta consciente e encaminhado a cura definitiva.
   As investigações em andamento devem ser concluídas. Segredos serão descobertos, coisas e pessoas perdidas devem aparecer. O que se esconde nas profundezas da nossa mente consciente surge trazendo cura, não antes sem provocar sofrimentos, conflitos violentos e muita agressividade, Vênus/Marte e Júpiter em Virgem em quadratura com Saturno em Sagitário em quadratura com Netuno em Peixes.



quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Lilith em Libra

                             Lilith em Libra

    Desde o dia 25 de agosto de 2015 e até 21 de maio de 2016 teremos a Lilith em trânsito por Libra, signo que rege a casa VII do Mapa Natal, regida pela Vênus, símbolo dos relacionamentos, equilíbrio e justiça.Na mitologia grega era a deusa do amor, da beleza corporal e do sexo. Para os gregos, ela tinha uma forte influência no desenvolvimento e prazer sexual das pessoas. Era considerada também a deusa protetora das prostitutas na Grécia Antiga.
    A casa onde temos Libra no nosso Mapa Natal será a área que servirá de cenário para os acontecimentos relacionados a estas experiências. A luz que traz a sombra para a consciência e a consequente evolução, superação e libertação.
   Devo lembrar de que a Lua Negra, em trânsito, não provoca absolutamente nada, nós que criamos. Na expectativa de que vai ter um trânsito, já esperamos algo, sintonizamos, abrimos canal, então realmente acontece.

  A Lilith é um ponto no mapa astral relacionado ao escuro do feminino, nome da primeira mulher de Adão. Lilith é o mito, a Lua Negra é anterior, mais abrangente e com cunho sexual muito forte. É um ponto que se encontra na sombra da Lua, que aponta para as emoções, sentimentos, origens, para a mãe e maternidade.
  Segundo Carl G. Jung “uma palavra ou uma imagem é simbólica quando implica alguma coisa além de seu significado manifesto e imediato. Esta palavra ou esta imagem tem um aspecto inconsciente, mais amplo, que nunca é precisamente definido ou de todo explicado”. Lillith se encaixa perfeitamente nesta visão jungueana de complexa simbologia mística, onde o inconsciente é manifestado em todas as suas expressões.
   A Lilith simboliza a sombra citada por Jung, que muitos preferimos evitar, mas que é imprescindível para a integração da nossa personalidade, como forma de nos tornarmos adultos e assumirmos as escolhas que fizemos na vida.
   A Lilith em Libra ou na casa VII pode manifestar-se sob a forma de inseguranças, instabilidade e compulsão manifesta nos relacionamentos, projeções e necessidade de impor, controlar e manipular os demais. Pode também corresponder a uma grande dificuldade em ser tolerante, não admitindo nada de ninguém, sente como se tudo pudesse. Tendência a testar e confrontar os relacionamentos, confrontos diplomáticos, exercícios de domínio até o limite do adversário/parceiro. Estar atento as palavras não ditas, aos subterfúgios, aos estelionatários afetivos.Cuidar pois a Lua Negra/Lilith em Libra não admite qualquer tipo de perda, é capaz de qualquer coisa para convencer o outro. Ao mesmo tempo se submete, vai tecendo para não ser abandonada, indo na carona. Dificilmente explode o que a leva a construir relações cheias de não ditos e mágoas, mas sempre tenta mascarar os sentimentos e aparentar que está tudo bem. Os relacionamentos são espelhos e um exercício intelectual.

   Nos períodos de Lilith em Libra precisamos exercitar a paciência, para de julgar e dar vereditos imediatamente. Pode ser extremamente acusativa e viver sob regras que estabelece. Perigo de se reduzir ao outro, abrir mão da sua vida em função de uma dificuldade de tomar atitudes individuais. A Lilith em Libra só vê felicidade ligada a alguém. Tem fascinação erótica e exercita a sexualidade de forma fantasiosa.
   No mapa astral o grifo da Lilith é uma Lua Negra, o oposto daquele usado para a Lua real. Representa onde o Absoluto se manifesta dentro de nós, não temos controle, atravessa o ego, somos passivos e abrimos mão.
   Em trânsito a Lua Negra aponta onde nossos desejos estão frustrados, sensação de castração e impossibilidade, inibição em geral. Oportuniza o questionamento onde está passando, crenças, trabalho, nossa vida e rumo que tomamos. Dá-nos a oportunidade de abrir mão, fazer as mudanças que a vida vem nos pedindo, que temos dificuldade em atender por incapacidades psíquicas. Prepara a entrada do Mundo Transcendental e nos mantém firmes e confiantes, a Lua Negra cria o grande vazio que nos prepara para esta abertura.

   A Lua Negra indica-nos alguma forma de castração ou frustração, frequentemente nos assuntos relacionados ao desejo, uma incapacidade da psique, ou uma inibição em geral. Por outro lado também aponta nossas áreas de auto questionamento, a nossa vida, nossos trabalhos, nossas crenças. Sua importância se dá pela oportunidade de abrir mão de algo, mostra onde podemos deixar que a Totalidade fale dentro de nós, sem atravessar o “Eu” pelo caminho, sem erigir um muro formado pelo nosso ego. Ao mesmo tempo, ela não nos indica passividade, ao contrário, simboliza a firme vontade de mantermo-nos abertos e confiantes, deixar que o Mundo Transcendental infiltre-se em nós, ao nos preparar para essa abertura a Lua Negra reflete a criação de um vazio necessário.
   O maior talento desta Lilith em Libra é se relacionar, passar este tempo observando como nós e as pessoas se relacionam. Precisa aprender a a sua felicidade não é a felicidade do outro
Neste período de Lua Negra/Lilith em Libra podemos atuar na inversão e nos encontrar com o feminino, a energia yin, descobrir a beleza, a justiça, o prazer e a criatividade de que somos capazes. Valorizar os direitos individuais e as regras de convívio íntimo.Nutrir sentimentos de liberdade, autogestão, solidariedade, amizade, gratidão, compaixão, respeito por nossas existências individuais e pelo próximo. Encontrar a luz do nosso interior, na casa onde temos o trânsito da Lilith, aptos a vivenciar as mudanças que se fazem necessárias em nós.
   A anima da Lua Negra em Libra é Gisele, a protetora das moças que morrem solteiras, é muito romântica. Todos que são abandonados no altar, as “Noivas de Copacabana” (Dias Gomes, Ferreira Gulart e Marcílio Moraes) e as noivas em geral. O calor que percebe é de uma mãe que amava muito, mas este era um amor impossível.
   O animus desta Lilith libriana é o flautista de Hammelin, Endimion e os anjos e arcanjos.




Ler também: http://www.pensandoceu.com.br/2013/06/lillith-lua-negra-nas-casas-do-mapa.html#.Vd4vcPlVhBc

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Júpiter em Virgem

               Júpiter em Virgem

   Júpiter é o quinto planeta do Sistema Solar mais próximo do Sol e o maior do Sistema Solar. Se Júpiter fosse oco, caberiam mais de mil Terras no seu interior. Contém também mais matéria do que todos os outros planetas juntos, tem uma massa de 1.9 x 1027 kg e um diâmetro de 142,800 quilômetros (88,736 milhas) no equador. Júpiter tem 16 satélites e a atmosfera é muito profunda, talvez compreendendo todo o planeta e tem algumas semelhanças com a do Sol. É composta principalmente de hidrogênio e hélio, com pequenas porções de metano, amônia, vapor de água e outros componentes. Há grande profundidade dentro de Júpiter, a pressão é tão elevada que os átomos de hidrogênio estão quebrados e os elétrons estão livres, de tal modo que os átomos resultantes consistem de simples prótons. Isto produz um estado em que o hidrogênio se torna metálico.
   Foi dado a este planeta imenso o nome de Júpiter, Deus Grego, supremo do panteão romano (seu equivalente em grego era Zeus), filho de Saturno e Réia, irmão e esposo de Juno, Senhor dos Deuses e do Universo, Deus do Céu, da Luz, do Universo, e do Trovão. Protetor Supremo do Estado reinava em Roma no Capitólio, que lhe era consagrado.

   Para a Astrologia Júpiter representa a procura do significado e objetivo de vida do indivíduo, o otimismo, a esperança e o sentido de justiça. Também representa a fé, a filosofia, a luta pelo desenvolvimento pessoal e o desejo de expansão. Em trânsito, através dos 12 signos e casas, aponta áreas e arquétipos que serão expandidos, enfatizados e potencializados. Na antiguidade era chamado de grande benéfico, assim como Saturno o grande maléfico, mas hoje já conseguimos interpretá-los sem esta visão maniqueísta da vida. O menos pode ser mais, no caso de Saturno e o muito pode ser fatal, no caso de Júpiter.
   De 11 de agosto de 2015 até 08 de Setembro de 2016 Júpiter estará no signo de Virgem, afetando diretamente os signos de Virgem, Peixes, Gêmeos e Sagitário. Júpiter leva 12 anos para completar seu ciclo pelo zodíaco, o que determina que fica um ano em cada signo.
   Júpiter é o maior planeta do sistema solar e por onde este planeta passa tudo aumenta, tudo fica exagerado. Ele traz expansão e melhorias, mas se as coisas não estavam bem, podem até piorar, para que sejam finalmente melhoradas por você, através dos estudos, do conhecimento e do desenvolvimento da consciência. Se estavam caminhando bem, podem crescer e esta pode ser uma boa fase para reconhecimento e expansão. Evitar exageros e preservar-se será importante nesta fase.
   Em Virgem, Júpiter facilita curas, elaboração de métodos, escolha de critérios, organização da vida e das coisas. Pode potencializar resultados de dietas mas devemos evitar exageros, que podem levar a resultados catastróficos como desenvolver doenças como anorexia e bulimia. Júpiter potencializa a cura e a doença em Virgem, caso não se esteja atento para exageros, focados no equilíbrio e no bom senso. Não podemos analisar este trânsito sem lembrar que Saturno estará em Sagitário penalizando o que não estiver baseado em estudos e pesquisas confiáveis, sempre ter o acompanhamento e um bom médico especialista, evitar drogas pouco testadas e sem receita. Tempo para fazermos uma boa faxina no nosso corpo físico, limpar através de uma boa alimentação e repor nutrientes. Ótimo para iniciar uma rotina de exercícios e também analisar os que já viemos desenvolvendo, sua eficiência e resultados.
   Os signos de Peixes, Virgem, Gêmeos e Sagitário estão convidados a pensarem como obter mais prazer e satisfação nas várias áreas de sua vida, e em como podem expandir seu campo de ação. Suas crenças, ética e filosofias de vida poderão passar por uma revisão neste momento, assim como uma reavaliada na forma que cuidamos da nossa saúde. Também deveremos avaliar os limites de nossos relacionamentos em geral e como expandir seus limites. Todos serão afetados por este trânsito, na área da vida representada pela casa em que Júpiter em Virgem passará.
   Virgem é detrimento de Júpiter, peregrino, sem dignidades. As características de Júpiter neste signo ocupam uma área reduzida onde o principal problema é a tendência frugal, econômica e mesquinha do signo de Virgem, que deterioram a expressão de Júpiter, planeta da generosidade. O que acontece é que aqui Júpiter vai prometer e vai conseguir cumprir muito pouco, em alguns casos nada. Assim como Capricórnio, este signo pode ser cético e pessimista, principalmente cético, perdendo oportunidades simplesmente por não dar crédito a elas. Características virginianas podem se deformar neste trânsito, com a crítica vindo acompanhada de escárnio, a prestatividade se manifestando de forma exagerada ou inconveniente e um excesso de  modéstia atuando de maneira a impedir a atuação benévola de Júpiter.

   Quem nasceu com Júpiter em Virgem funciona mais no individual, não para fortalecer o ego mas o excesso de importância nos detalhes pode se tornar paranóia, achando que só funciona bem porque os vê e lhes dá enorme importância, e que só as grandes transformações devem merecer sua atenção.
Seu olhar para o geral é comparável a um “raio-X”, você olha tudo como se tivesse um “zoom” mental, olha um gramado enorme e consegue ver os défices da grama, onde todo mundo vê só um monte de grama verde. Isto pode se tornar uma fixação por perfeição que lhe afasta da capacidade de ver de forma mais ampla e abrangente.
   Júpiter nesta posição liga automaticamente a imperfeição a desgraça e a falha, se julga de forma cruel e não consegue ver as oportunidades que o caos traz.

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Lua Azul/Blue Moon

                       Lua Azul/Blue Moon

   Neste dia 31 de julho de 2015 as 07:45 ocorrerá a segunda Lua Cheia do mês, no eixo Leão(Sol) Aquário(Lua), chamada de Lua Azul ou Blue Moon, acontecimento que só se repetirá em 2018. Existem relatos de acontecimentos fantásticos e raros relacionados com a Blue Moon.
   Toda Lua Cheia é mágica, mas nesta acontecem rituais especiais por sua energia relacionada a mudanças profundas. As cerimônias neste dia têm como objetivo absorver, canalizar e distribuir energia cósmica para o planeta e para toda a humanidade. Em algumas regiões as pessoas usam roupas leves e azul, durante 7 dias, para honrarem a Lua Azul.
   Abre-se um portal entre os dois mundos, o denso e o sutil, ficamos mais sensíveis e abertos a espiritualidade. Curas são possíveis através das energias dos elementos, água, ar, fogo, terra, éter, seres angelicais e mestres ascensionados.
   Esta Lua é associada à abundância e a realização dos desejos mais difíceis, sua energia é ampliada devido a sua força magnética, podem ocorrer purificações e alterações emocionais nas pessoas. Se reunir para potencializar esta energia de cura para dores profundas, transformá-las em amor, prosperidade, alegria e paz.
   Na mitologia Celta é associada ao contato com o reino encantado dos seres da natureza, se invocam as rainhas das fadas, que levam seus adoradores a viagens reais e imaginárias as terras dos pequenos povos. Para agradar as fadas, os Celtas cultivam perto das casas suas plantas favoritas: violetas, calêndulas, prímulas e verbenas, oferecem cristais nas clareiras onde os círculos de cogumelos indicam sua presença.
   Dia para se reunir com pessoas que vibrem na mesma sintonia e invocar bons fluídos e realização para todos.  

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Sol, Mercúrio e Júpiter em Leão

                          Sol em Leão

   Neste 23 de julho de 2015 até 23 de agosto o Sol estará em Leão, signo que rege e onde está no seu domicílio.
   O Sol, a fagulha universal que nos define, energia vital e luz cósmica que nos move e diferencia, quando passa por Leão sinaliza a busca da individualidade e potencializa o autorrespeito, caminho natural que deveria levar ao reconhecimento, direito do outro ser o que é, assim como tu és, pela luz que habita no outro assim como em ti. A falta da consciência gera conflitos, embates de egos, violência e arrogância extrema.
   Leão é o indivíduo que compõe o coletivo que se manifesta em Aquário. Quando o Sol em trânsito está em Leão a luz se dá em sua essência mais potente, brilha e aparece, no belo e no feio, no aceitável e no mais desprezível da natureza de todas as coisas, principalmente pelo encontro, neste ciclo, com Júpiter também em trânsito por Leão.
   Quem nasce com o Sol em Leão tem natureza expressiva e corajosa, reais e sem filtros, são luz em ação. Será necessário desenvolver os talentos para dar vasão positiva a esta exposição necessária e inevitável. Em via de regra possuem talento dramático, liderança que precisa ser lapidada para não serem autoritários e intransigentes.
   Neste período é de extrema necessidade o exercício da generosidade, qualidade que é inerente dos seres leoninos, doar para receber. Urano em Áries formando um quarteto  potente que junta a essência da vida terrena (O Sol), a expansão, a manifestação, a as crenças (Júpiter) e as comunicações e o pensamento (Mercúrio) em Leão, em um ciclo de Urano em Áries traz inevitável revolução nas atitudes, necessária, para os valores, crenças e métodos mudem, cumprindo ciclo evolutivo e inexorável, para que a evolução aconteça. As tragédias, grandes acidentes, guerras, convulsões sociais são sintomas que demonstram a falência das crenças, das relações humanas e estão nos obrigando a repensar, mudar sob pena da perda da tranquilidade, perceber que precisamos aprender a repartir as benesses das condições da vida neste planeta, porque a dor, o sofrimento, as carências e males já o são, de uma forma direta ou indireta, sem escapatória.
   Com a informação disseminada de forma global em tempo real, atingindo todos de forma imediata, não poupa ninguém dos acontecimentos, próximos ou do outro lado do planeta. Não dá mais para justificar com a ignorância dos fatos, se esconder das dores e sofrimentos que pensamos ser dos outros, da fome na África, dos abusos na Índia, do genocídio em Gaza, da corrupção dos governos, somos todos autores e vítimas, direta ou indiretamente, cientes ou negando através de fugas, doenças físicas e psicológicas.
   Em tempos de Sol, Mercúrio e Júpiter em Leão a possibilidade de ver a vida claramente, com foco no nosso ser divino, na importância que tem sermos nós mesmos e compor um coletivo uno e divisível, com cada um tendo a relevância própria de sua diferença na composição do todo maior, em movimento constante pelo novo que as diferenças nos trazem. Estímulo é o que somos uns para os outros, não inimigos ou concorrentes, podemos viver em paz e comungar da maravilha de estar neste planeta aprendendo, crescendo, evoluindo e cumprindo a lei universal do movimento constante, da lei física que diz que nada se perde e que tudo se transforma. Mudar é preciso senão saímos do giro da roda da vida, caímos, perdemos o sentido e sofremos.
   O Fogo tem um plano espiritual de fé e força, é importante que se possa expressar criar, experimentar, têm em comum a vitalidade, a espontaneidade, a alegria de viver e uma confiança infantil na vida. Para o Fogo tudo é um grande jogo onde o objetivo não é vencer, mas ter estilo. É o elemento da mudança, vontade e paixão. Contém dentro deles todas as formas de magia, pois a magia é o processo de mudança. A magia do Fogo pode ser assustadora, os resultados se manifestam de forma rápida e espetacular. O Fogo é primário e por isto muito ousado. Este é o reino da paixão, representam o fogo sagrado, a faísca de divindade que brilha dentro de nós e de todas as coisas vivas. Ele é, ao mesmo tempo, o mais físico e o mais espiritual dos elementos.

O Trabalho de Leão
http://www.pensandoceu.com.br/2013/11/5-trabalho-de-hercules-morte-do-leao-de.html#.VbDk_PlVhBd
O Mito de Leão

http://www.pensandoceu.com.br/2013/06/e-caracteristicas-dos-signos-parte-ii.html#.VbDlUvlVhBc

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Marte em Câncer de 24/06 a 08/08/2015

                      Marte em Câncer

                         de 24/06 a 08/08/2015

   O símbolo que representa internacionalmente o planeta Marte é o mesmo do homem, um círculo com uma seta partindo da borda superior direita, representa o escudo e a flecha de Marte/Ares, o Deus da Guerra.
   Marte é a energia que usamos para a autoafirmação, indica como é processada nossa combatividade, como lutamos e liberamos nossa agressividade, também como agimos para defender nossos interesses pessoais.
   A casa em que temos Marte recebe esta energia vigorosa e incisiva. É onde temos iniciativa, força e vontade de lutar, mas também pode trazer alguma impetuosidade e agressividade desnecessária.
   Marte representa o sexo, a impulsividade, a irritação, a guerra, as discussões, os acidentes, o físico, o corpo, a ação, o gesto, o desejo de afirmação, a energia masculina, os homens, as profissões masculinas, as operações cirúrgicas, as lutas, os negócios arriscados, os assuntos militares, tudo o que se refere a ferro e armas, os esportes e a iniciativa em empreendimentos.
   Câncer/Caranguejo é a água cardinal, vida privada, família e origem. Primeira infância e bases da formação da vida, raiz, o que se trás, DNA. Herança do pai e final da vida. Como vemos nosso lar e desenvolvemos nossa segurança emocional, a iniciativa para se conseguir ter e dar proteção e abrigo, simboliza a nutrição maternal, a valorização dos laços familiares e o interesse por assuntos políticos. Nostálgico, vive melhor com as lembranças e tem dificuldades para lidar com o presente e não gosta de pensar no futuro. Para ele, o passado é sempre mais representativo e seguro. Câncer/Caranguejo pode passar pela vida sem vivê-la na sua plenitude, por medo, por insegurança ou pela incerteza do dia de amanhã.
   Com Marte em trânsito por Câncer/Caranguejo ficamos mais atenciosos e reservados. As ações passam a ter com um tom nostálgico, onde precisaremos nos defender o tempo todo, pois a segurança emocional tende a ser fator de grande importância. A agressividade de Marte será contida pela sensibilidade instintiva de Câncer/Caranguejo.

   Com o trânsito do Deus da Guerra pelo arquétipo dos sentimentos e da maternidade estaremos mais ansiosos e reclamando de tudo e de todos. Nossas memórias emocionais serão acionadas e estaremos mais receptivos a experiências passadas e questões familiares.
   Com Marte no elemento Água nos deparamos com pessoas muito intuitivas e de grande sensibilidade. Agem sem saber exatamente porque estão agindo desta forma, não sabem por que querem o que querem ou mesmo se querem se jogam nas situações mesmo que não tenham a mínima ideia do que vai resultar. São pessoas que agem de forma indireta, preparam, armam situações para alcançar os objetivos a que se propõe, envolvem-se emocionalmente em seus relacionamentos sexuais, precisam de segurança emocional e sentir-se protegidas e importantes. Como amantes são criativos, sensíveis e gentis, entram no clima do parceiro e são sutis na troca de sentimentos, querem e se entregam, são extremamente táteis e carinhosos.
   Neste ciclo Marte estará oposto a Plutão em Capricórnio, período de grande tensão, com tendências violentas, devido a intensidade dessas energias no emocional, será um período bem conturbado. É possível que seja desperta uma fúria agressiva para lutar por algo que se julga valioso e que foi perdido. Pode resultar em atitudes antissociais por se sentir injustiçado.
Há predisposição a acidentes e para atrair agressividade e a violência alheia. Tendência à irritabilidade devemos evitar discussões.
   Do ponto de vista construtivo será necessário trabalhar em grupos de pessoas pelo bem-estar comum, produzir mudanças no ambiente ao redor. Deve-se evitar o envolvimento com aquilo que é escuso, pessoas suspeitas, maliciosas ou destrutivas, trabalhar para o bem comum/familiar e menos para si, transformar o ego e sentir as forças para se tornar de um novo ser.
   No sexo foco excessivo na luxuriosa ou prazer totalmente reprimido. Na saúde poderão surgir doenças estomacais, como úlcera ou a necessidade de uma intervenção cirúrgica para limpar ou extrair algo com a finalidade de curar algo crônico ou de difícil diagnóstico. Podemos agir de forma rigorosa, exigente e agressiva com nossos familiares, provocar acontecimentos que não correspondam as nossas expectativas. Viver de casa em casa, de convivência em convivência, tentando realizar algum ideal oculto de vida familiar, atribuir muitas de nossas frustrações e derrotas aos pais e familiares.

   Nossa vida interior estará bastante intensa, com relativa facilidade de acesso a realidades mais profundas. Podemos, neste período aprender a controlar e avaliar melhor nossas compulsões emocionais, analisar com mais profundidade e consciência nossas escolhas, ver que nossos familiares e as condições do mundo que nos cercam são simples agentes e não os únicos responsáveis pelos resultados que obtemos nas nossas vidas.
   As casas onde temos Câncer/Caranguejo e Capricórnio no nosso Mapa Natal serão as áreas que servirá de cenário para os acontecimentos relacionados a estas experiências. A Luz que traz a Sombra para a consciência e consequente evolução, superação e libertação.


segunda-feira, 15 de junho de 2015

Mapa da Lua Nova em Gêmeos


               Mapa da Lua Nova em Gêmeos

   Neste 16 de junho de 2015 as 11:07hs a Lua entra na sua fase Nova. A Lua Nova favorece a nos livrarmos de coisas que nos incomodam. É a melhor para cortar com vícios e encerrar questões que se arrastam, terminar projetos e iniciar outros.
   Enquanto a Lua estiver em Gêmeos favorece o comércio, a comunicação e a propaganda. Nesse período pode haver inconstância nas opiniões e mudanças de ideias. Gêmeos rege a língua, os pulmões, a clavícula, ombros, mãos, braços e o sistema nervoso, por isso não favorece as cirurgias e intervenções nessas partes do corpo enquanto a Lua estiver no signo. Época favorável para mudanças de casa e reverter más impressões.
   Lua, Sol, Mercúrio e Marte se encontram no 3º signo do zodíaco associado à constelação de Gemini. Um dos quatro signos mutáveis (Sagitário, Virgem e Peixes) pertence ao elemento Ar. Conceitualização, relativização, idealização e explicação do Universo. Potencializa o autoconhecimento, micro, e o desenvolvimento de ideias e elaboração de conceitos Universais, macro. Nos indivíduos potencializa habilidade com as palavras, criatividade, leveza e fluidez nas comunicações. Esta energia mal direcionada se transforma em nervosismo mental, comunicação vaga e descontrolada, oscila entre a superficialidade nervosa e a capacidade de ver todos os aspectos da natureza das coisas.
Para a astrologia a fase Nova beneficia os inícios, a expansão na Crescente, visibilidade na fase Cheia e finalizações na fase Minguante. Tudo que ocorre na Nova culmina na Cheia e pode ser revisto na Minguante e reprogramado na Crescente.
   Os três dias anteriores a mudança da fase da Lua, início da lunação, já começamos a vivenciar a energia que vai se manifestar com força máxima no dia exato da mudança, após decresce mas mantêm a influencia nos 3 dias posteriores.
   A casa do Mapa Natal que ocorre a Lua Nova é a área da vida que será potencializada pelo ciclo que culmina na Lua Cheia, afetando a casa oposta. Ocorrendo a fase Nova na casa I devemos prestar atenção como estamos encaminhando os relacionamentos, casa VII, os efeitos tanto positivos quanto negativos aparecerão na próxima Lua Cheia. O signo da lunação é o arquétipo envolvido.
   A cada mês acontece uma Lua Nova que focaliza e sensibiliza um eixo do mapa natal, que determinam cúspides de casas ou setores da vida, pelos próximos 28 dias.
   Nesta Lua Nova em Gêmeos que se dará as 11:07hs do dia 16/06/2015, Leão está no Ascendente e o seu regente o Sol envolvido num Stellium junto a Lua, Marte e Mercúrio (conjunto ao Meio do Céu), nas casas IX e X, direcionando toda a energia geminiana para a projeção pessoal através da profissão, principalmente as ligadas as comunicações e transportes, editores, escritores, jornalistas e multimídias em geral, dentre outras. Júpiter na XII em Leão potencializa o reconhecimento e aprovação de ideias, desde que proponham alternativas coerentes, que encaminhem a discussão e mudanças profundas nos métodos e formatos de execução. Lunação propões um debate de ideias criativas, que possam mudar andamentos superados e com falhas, para que o objetivo final seja alcançado e mudanças reais implantadas.
   Onde está o grau 24° de Leão no nosso mapa será a origem do desdobramento da Lunação, a casa onde temos Gêmeos será o ponto focal das ideias e possibilidades, que nos levarão a realização de aspirações e projetos pessoais frente o coletivo.
   Mercúrio em Gêmeos na casa IX oposto a Saturno Rx em Escorpião na casa III nos indica a sobriedade e cautela com as ideias e a apresentação delas. Primeiro estudar, estruturar, organizar e depois apresentar. Mercúrio em quadratura com Netuno Rx em Peixes amplia o sonho, o devaneio e o contato com possibilidades mentais que não temos normalmente, devemos aproveitar esta inspiração que beira a mediunidade. Ficar atentos para que as ideias não se dissipem como nuvens, reter, escrever, gravar o máximo possível, para que na Lua Cheia em Sagitário possamos visualizar os resultados destes encaminhamentos. Teremos os resultados na casa oposta a que ocorreu a Lua Nova, neste caso no eixo Gêmeos/Sagitário.
   Divulgar ideias, debater, estudar, aprender, escrever, divulgar, publicar são atividades afins a esta Lunação. O Ascendente e Júpiter em Leão vai disseminar e dar visibilidade a novas ideias, ou velhas serão divulgadas e reconhecidas.
   A Vênus na casa XII em Leão, casa que tem cúspide em Câncer, o que nos faz pensar que nesta Lua Nova podemos projetar a cura para sentimentos desnecessários e que nos fazem sofrer, através da leveza e do falar sobre eles, Lua regente de Câncer em Gêmeos. Podemos encaminhar a recuperação da nossa autoestima e reconhecer o poder que nós temos quando aceitamos ser o que realmente somos. Únicos, por isto fundamentais, divulgar a nossa contribuição, dar a nossa opinião. Nos apresentar para o debate participativo, nos responsabilizar e contribuir.


sexta-feira, 12 de junho de 2015

Astrologia, Relacionando e Interpretando

     Astrologia, Relacionando e Interpretando 

   Sob o trânsito de Júpiter em Leão, Saturno em Sagitário, Urano em Áries, os três em signos de fogo, e Plutão em Capricórnio, resolvi explicar como entendo a Astrologia e como vejo sua utilidade nos tempos atuais. Para isto começo reescrevendo a primeira frase: " Júpiter em Leão ativando mais uma vez a necessidade de reconhecimento e busca de validação da nossa identidade. Saturno em Sagitário que nos aponta um período de grande aprendizado, que deverá ser de grande evolução, para todo aquele que encarar o desafio, se responsabilizar por aprender, através da dor e da observação das mazelas geradas por crenças, sistemas e comportamentos que provocam sofrimentos, desastres, violência, fome e miséria. Atender a necessidade de uma revolução nas atitudes e descobrir um novo “agir” indicado por Urano em Áries. Influenciados pela destruição de velhas estruturas, representada por Plutão em seu longo ciclo pelo signo de Capricórnio, até 2023. Estruturas sociais, econômicos e políticos que não servem mais para esta nova humanidade, que surgiu junto a revolução tecnológica, nas comunicações, integrando as pessoas e os países e expandindo os limites geográficos e culturais.
    Mais uma vez a Astrologia surge lá dos primórdios da humanidade, quando através da necessidade de se relacionar com a natureza hostil formou seus códigos, mitos, determinou ciclos e critérios que foram ao longo da história contribuindo e embasando, experimentando seu conceitos e aplicações através dos tempos, como uma ferramenta de orientação, na busca de sentido a nossa existência
   Para falar como entendo, será necessário definir:
- Signo – estudado pela semiótica, ciência geral dos signos, que define todos os sistemas culturais como se fosse um sistema, dividido em um objeto qualquer, um interpretante que é a primeira imagem que vem a nossa cabeça quando falamos/pensamos o nome do objeto e um representante: imagens, figuras, sons que representam algum objeto do mundo real, tão perfeitamente que chegamos a falar de realidade virtual.
   Este estudo não fala só dos signos linguísticos e sim de todo e qualquer sistema sígnico(de signos), artes visuais, música, fotografia, cinema, culinária, vestuário, gestos, religião, ciência etc.
- Arquétipo - Na Psicologia Analítica significa a forma imaterial à qual os fenômenos psíquicos tendem a se moldar. C. G. Jung usou o termo para se referir as estruturas inatas que servem de matriz para a expressão e desenvolvimento da psique.
   Embora todos os arquétipos possam ser considerados como sistemas dinâmicos autônomos, alguns deles evoluíram tão profundamente que se pode justificar seu tratamento como sistemas separados da personalidade. São eles: a persona, a anima, o animus e a sombra.
   Chamamos de instinto aos impulsos fisiológicos percebidos pelos sentidos, mas ao mesmo tempo, estes instintos podem também manifestar-se como fantasias e revelar, muitas vezes, a sua presença apenas através de imagens simbólicas. São estas manifestações que revelam a presença dos arquétipos, os quais as dirigem. A sua origem não é conhecida, e eles se repetem em qualquer época e em qualquer lugar do mundo - mesmo onde não é possível explicar a sua transmissão.
   Estes são os elementos que se abrigam nas interpretações astrológicas como entendo, analisando os arquétipos primordiais da psique humana (os doze signos) e que se traduziram na linguagem astrológica, que dão significado e sentido a presença do homem neste planeta.
   O estudo da posição dos planetas através de sua movimentação em suas órbitas ocupam ângulos, chamados de aspectos, em relação à Terra, e que foram marcados no espaço pelas posições das estrelas que agrupadas definiram constelações e que receberam um nome (signo), mesmo que através dos séculos estas posições estelares tenham se alterado ficaram os signos, significadores daquele ângulo específico do espaço visto aqui na Terra.
   Os estudos astrológicos ao longo de mais de 6.000 anos de observação, relacionaram a posição dos planetas aos acontecimentos históricos, políticos, climáticos e as características de tudo que acontece e nasce em determinados posicionamentos de planetas em relação a Terra. São observados em sua movimentação pela Eclíptica, trajetória aparente do Sol na esfera celeste, foi dividida em doze partes ou signos, órbita que a Terra descreve e que foi convencionado que seria a referência de 1 ano, 365 dias, 12 meses e as quatro estações.
   Hoje, a interpretação astrológica ou a leitura do Mapa Astral,  nada mais é do que aplicar estes estudos milenares a nossa realidade, usando acontecimentos passados e relacionados aos posicionamentos planetários, aconselhar, encaminhar, prever através da similaridade, para enriquecer e aprimorar nossos comportamentos, pensamentos e metas, além de nos libertar dos limites impostos pelas fronteiras do nosso planeta e nos conectar a vida que existe no cosmo. Acrescentado que o estudo do simbólico desenvolve o raciocínio e potencializa a inteligência, amplia a capacidade de interpretar, questionar e concluir.

quarta-feira, 3 de junho de 2015

Constelação de Gêmeos

            Constelação de Gêmeos
   Esta constelação tem origem na Mesopotâmia, visto que nas tábuas Mul-Apin aparece como Mas-tab-ba-gal-gal, em sumério, “Os Grandes Gêmeos”. Esta denominação parece proceder sem dúvida do nome dado às grandes montanhas situadas no limite do mundo conhecido, segundo a cosmografia suméria, “As Grandes Montanhas” ou “Os Grandes Gêmeos”. Estes montes eram defendidos pelos legendários Homens-Escorpião, e formavam um longo desfiladeiro pelo qual o sol saía todos os dias de baixo da Terra desde um lugar situado mais ao Leste. Têm um papel destacado na Epopeia de Gilgamesh, já que o herói tem que atravessá-los em sua busca pela imortalidade, que o levará a visitar Utnapishtin, o Noé sumério.
   Os gregos adaptaram esta constelação zodiacal da Mesopotâmia, pois como vimos nos Fenômenos, não tinham nenhum mito associado a esta. Posteriormente, identificariam esta constelação com os gêmeos mais famosos da mitologia grega, ainda que esta não seja a única identificação, já que Ptolomeu via Apolo nesta constelação.
   No Egito esta constelação era representada por dois vegetais e na cultura fenícia era associada a um par de cabras. Para os romanos, estes gêmeos se associavam aos legendários fundadores, Rômulo e Remo. Para os egípcios, Gêmeos representava Horus e Harpócrates, o deus falcão filho da deusa Isis, enquanto que para os hebreus representava uma misteriosa porta dupla. Simbolicamente representa a pura força criadora de Áries e Touro, que se cinde em um dualismo. Segundo E. Cirlot simboliza o intelecto objetivado e refletido, sendo a natureza criadora e a natureza criada.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Vênus em Câncer

        Vênus em Câncer/Caranguejo
   Vênus para os romanos, Afrodite para os gregos, Netzack/Árvore da Vida, sétima esfera na Cabala. Para a Astrologia representa o feminino, como encontramos prazer, valorizamos, interagimos e somos agradáveis.
   A posição que Vênus ocupa no nosso mapa natal diz onde as experiências nos dão prazer e podemos agradar os outros. No mapa dos homens representa o feminino que se identifica.
   Vênus é a Deusa do amor e da beleza, associada a venéreos e afrodisíacos, ambos relacionados ao sexo. Afrodite era a mãe de Eros de onde vem a palavra erótica, rege dois signos do zodíaco, Touro e Libra, em cada uma das regências manifesta um traço da Vênus e está exilada em Escorpião e Áries e em queda em Virgem.
   Vênus rege o amor, o tesão e não necessariamente o romance, é o fogo que arrebata e nos impulsiona para fora de nós, para o outro.
   A mais bela e graciosa das deusas casa com Hefesto, o mais feio e mal-humorado dos deuses, por isto a Vênus em nosso mapa pode estar relacionada a coisas não muito agradáveis, que precisam ser resolvidas, e sua presença suaviza e deixa mais leve estas experiências.
  A Vênus transitará por Câncer/Caranguejo de 07 de maio até 05 de junho de 2015, signo regido pela Lua, o outro aspecto do feminino no nosso Mapa. Com a Vênus em Câncer/Caranguejo os assuntos da afetividade, maternidade, segurança emocional, nutrição e dos assuntos familiares e imobiliários (a casa) estarão em alta.
   Esta Vênus valoriza o casamento e as relações afetivas, por isto tendem a casar cedo e ter uma família numerosa. Donos de grande sensibilidade para perceber circunstâncias e pessoas, buscam situações e relacionamentos nos quais possam se sentir seguros e amados. São conservadores e ligados ao passado, às lembranças e às suas origens, o que acentua o jeito devotado e indulgente.
   São extremamente protetores, e podem ser pais com tendência a infantilizar os filhos e controlar a família. Precisam praticar o desapego e a amar sem posse. Possui muita imaginação, é sonhador e romântico. Necessita da segurança, do aconchego e da intimidade do lar, que pensam que os protegem das adversidades do mundo externo. Mas devem cuidar para que a vida familiar não prejudique a vida profissional.
   Podem ser grandes cozinheiros por suas habilidades natas para nutrir e aconchegar. As qualidades lunares desta Vênus conferem grande talento para a magia e para a administração doméstica. Grande dificuldade nas relações impessoais o que pode desenvolver carências, frustrações e solidão, precisam ser canalizadas positivamente para atividades comunitárias, voluntariado, assistência social e atividades políticas.
   Enquanto no céu esta Vênus vibra uma energia de sensibilidade, afetividade, potencializa a gravidez e os excessos alimentares. Período que devemos descarregar nossas questões emocionais na comida, o que pode nos fazer engordar. Com este posicionamento pode-se desenvolver doenças autoimunes, ginecológicos e obesidade, de cunho psicossomático. 
    Em Câncer/Caranguejo a Vênus estará em quadratura, aspecto que forma ângulo de 90°, com Urano, que transita em Áries/
Carneiro desde março de 2011 até maio de 2018, estilhaçando formas superadas, preparando a humanidade para o novo ciclo, mudando atitudes, ampliando os limites formais, destruindo preconceitos e evoluindo comportamentos.

   Será um período de reavaliação e debates dos padrões que regem o convívio familiar, da necessidade que temos de mudar valores que não mais se adéquam com o Novo Mundo, Nova Era, Nova Humanidade, e a célula “Família”. Repensar nossos relacionamentos, os códigos de convívio, o Amor e os motivos que nos ligam uns aos outros. Os direitos individuais, a cidadania e a diversidade. Vamos mudar nossas atitudes através de situações nem sempre agradáveis, que podem envolver violência sexual, portanto não vamos correr riscos desnecessários. A Vênus estará em oposição a Plutão que está em Capricórnio destruindo violentamente as hipocrisias sociais, familiar e individuais. São dias de grande ebulição nas relações afetivas e violência urbana potencializada.
   Individualmente este trânsito pode estabelecer uma revolução na nossa postura frente os nossos sentimentos, os relacionamentos íntimos, de amor, amizade, sociedades e parcerias em geral. Devemos sair deste trânsito com a certeza que se expandir passa por compartilhar afeto, conhecimentos e conquistas. Reescrever o ditado: “Farinha pouca meu pirão primeiro” para “Farinha pouca compartilhada pirão para todos”.
   Vamos concluir que convivendo neste universo cíclico, todos habitando o mesmo planeta Terra, a nossa casa, e que as nossas relações íntimas são determinantes no nosso convívio social. O que acontece com um atinge a todos. Quando evoluímos nossos valores e comportamentos mudamos nossas relações íntimas e profissionais, contribuímos com as mudanças na sociedade e evoluímos o mundo.


terça-feira, 5 de maio de 2015

500000 Visualizações

                                           
   Hoje, 05/05/2015, o Pensando Céu atingiu 500.000 visualizações em 2 anos e 4 meses de existência. Nem sei como expressar a minha alegria.
   É quase automático ficar relembrando as conversas sobre esta possibilidade com amigos queridos, os incentivos que tive para decidir a escrever num blog a minha forma de entender Astrologia, que como entendo é um jeito de pensar e ver a vida.
   Agradeço a todos os leitores que me horam com suas visita e leitura. Minha intenção é disseminar este conhecimento milenar que desenvolve o raciocínio simbólico e nos aproxima do Universo e de suas leis.
   Promover, Debater e Disponibilizar Astrologia, esta é a minha ambição, o que este número de visitas me diz que estou no caminho.
   Grata a todos e bom estudos para todos nós,
    Beth F. Borba

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Lua Nova em Touro

              Lua Nova em Touro

                   20 de abril de 2015

   Sol, Lua, Mercúrio e Marte em Touro em trígono com Plutão em Capricórnio. Os signos do elemento Terra, Touro, Virgem e Capricórnio, foram classificados por Platão como escuridão, densidade e imobilidade e tem que encarar o desafio de enfrentar os estímulos energéticos do mundo ao redor.
    Na Terra estão contidas as sementes, as virtudes germinativas de todas as coisas e, portanto a Terra é animal, vegetal e mineral.  Fertilizada pelos outros elementos e pelo Céu, a Terra faz nascer à abundância e todas as coisas, encerra  grandes segredos.
   Nesta Lua Nova, senhora de todos os inícios, do fortalecimento das raízes, podemos dar início a um projeto existencial que nos traga estabilidade e segurança, desde que aliado as restrições que Saturno em Sagitário que nos cobra ética e evolução atraves do conhecimento e espiritualidade. Podemos fazer as fundações de novos valores e noção de que a segurança está ligada a auto estima e nossas bases de  crenças e compreenção dos direitos e deveres, coletivo e individual.
   Na casa onde temos Touro estará esta fundação. Será regida pela Vênus que está em Gêmeos, trocar idéias, buscar entendimento, expressar idéias e opiniões, debater conceitos e encontrar novas possibilidades para resolver questões emperradas e que até o momento não conseguimos solucionar. Esta Vênus beneficia as idéias alternativas e a multiplicação das soluções possíveis para velhos problemas.

   As 20:29hs de hoje, 20 de abril de 2015 a Lua entra em Gêmeos fazendo conjunção com a Vênus, possibilitando uma conecção emocional com os valores, idéias e prazeres da mudança, que Urano em Áries vem apontando e que Plutão em Capricórnio nos empurra a executar.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Mercúrio em Touro

              Mercúrio em Touro

   No mapa astral, Mercúrio indica como processamos as informações que recebemos, revela o funcionamento do nosso raciocínio concreto e capacidade de codificar e decodificar as experiências. Através desse planeta identificamos o abstrato, no signo que se encontra aponta a forma como aprendemos. Ele é o principal ponto de referência sobre a capacidade intelectual.
   Mercúrio nunca fica a mais de 28 graus de distância do Sol, por isto nunca aparece no céu à noite, só se apresentando de forma visível um pouco depois do pôr-do-sol e um pouco antes do amanhecer. Quando posicionado no mesmo signo que o Sol, ele vai reforçar ainda mais a expressão daquele signo. No mapa astral podemos encontrá-lo dois signos a frente, dois atrás ou no mesmo signo do Sol. Com o Sol em Touro Mercúrio estará em Peixes, Áries, Touro, Gêmeos ou Câncer.
   Neste 14 de abril até 01 de maio de 2015 Mercúrio inicia seu trânsito anual por Touro, encontra Marte também neste signo, formam uma poderosa interação entre comunicação e ação, mente e iniciativa em signo fixo, feminino e do elemento Terra.
   Touro é o signo da semente, base, início de tudo que queremos que desabroche na primavera. É tempo de cultivar e regar. A Terra representa o lado visível da vida ou a manifestação concreta de tudo o que germina no mundo das idéias, mediante a ação concreta. Esse elemento ativa nossa energia interna para a realização e para a ação. Seu significado está relacionado ao nosso corpo e a tudo mais do mundo material. É representado pela cruz, que é o símbolo da materialização da essência divina. Os Gnomos são elementais que governam o elemento Terra, segundo os ocultistas.
   Os signos fixos são Touro, regido pela Vênus, Leão, regido pelo Sol, Escorpião, regido por Plutão e Aquário, regido por Urano. Touro demora a mudar e exemplifica os aspectos férteis da primavera. Leão é o mais estável dos signos de fogo, caracteriza o calor e o poder gerador do verão. Escorpião imprime sua marca nos aspectos sensuais do outono e seu regente Plutão simboliza a escuridão e a morte do verde da natureza. O quarto signo Fixo, Aquário, terceiro signo do elemento Ar e originalmente regido por Saturno, nos tempos modernos por Urano, simboliza o pensamento universal e a fria indiferença do inverno.
   Quem tem ênfase em signos fixos não mudam com facilidade, possuem consciência do seu espaço e sabe o que lhes pertence, provável terem uma boa noção de quem são e do que desejam. Como são autoconfiantes, resistem a todo o tipo de dominação e, podem rebelar-se quando lhes é destinado um papel subordinado. Basicamente, pedem para serem deixadas em paz. Por outro lado, são perfeitamente capazes de exercerem influência, até mesmo domínio, sobre os demais. As pessoas de signos fixos sentem-se muito mal quando atormentadas pela instabilidade emocional.
   Mercúrio e Marte em Touro em harmonia (trígono) com Plutão em Capricórnio, signo da Terra, Cardinal e Yin, apontam um ciclo em que estamos gerando mudanças profundas, curas e extirpações necessárias, como a retirada do inço que cresce junto às plantas, tirando sua força e viço. As dores necessárias, tomadas de decisões muito difíceis, buscar ajuda quando perceber que não conseguimos sós. Mente e ação em desarmonia (quadratura) com Júpiter em Leão que sinaliza evolução das identidades, potencializa as individualidades, a desmassificação dos indivíduos e o direito de cada um ser único, especial e socialmente integrado dentro das suas diferenças e direitos. Vamos precisar perserverar para atingir nossos objetivos, lentidão e atrasos. Ter confiaça e muita resistência. Força e auto confiança serão nossas principais armas.
   Quem nasce com Mercúrio em Touro, signo de Terra, Fixo e Feminino/Yin, é dotado de bom senso e cautela, aprecia a calma, pensa devagar e gosta de ponderar bem as idéias antes de se decidir. Teimoso, tem uma certa dificuldade em assimilar conceitos abstratos, podendo se deixar levar pelo dogmatismo.
Graças à sua força de vontade concentrada, acaba conseguindo tudo o que quer. Tem uma persistência ilimitada para alcançar os seus objetivos e acaba se revelando indispensável através de um trabalho cuidadoso e metódico. Precisa de um ambiente profissional bem organizado e o que mais detesta é ver a sua rotina alterada.
   Sua mente funciona em harmonia com os cinco sentidos e tem um senso inato do valor material das coisas. Regido por Vênus nas suas funções mentais, costuma avaliar muito bem as questões financeiras e tudo o que se refere à segurança material. Tem muito senso para os negócios e pode se dividir entre ganhar a vida de forma segura e estável financeiramente, ou através de uma atividade artística e estética. A influência da deusa das artes lhe confere um dom especial para a música e costumam ter uma bela voz.

domingo, 12 de abril de 2015

Vênus em Gêmeos

              Vênus em Gêmeos

    Vênus o planeta do feminino, dos valores, amor e beleza inicia seu trânsito por Gêmeos no dia 11 de abril a 07 de maio de 2015, favorecendo a leveza, a amizade e a jovialidade. Podemos estar facilmente envolvidos por belas palavras e toda a sorte de novidades.
   Movimentar os relacionamentos, não deixar que a monotonia e as repetições se instaurem nas relações em geral, namoros, casamentos, sociedades e até procurar variar métodos estabelecidos, buscando alternativas criativas e mais flexíveis.
   Nada que exija disciplina, concentração e objetividade terão valor ou proporcionará prazer a esta Vênus galanteadora, volúvel e emocionalmente distante. O maior desejo é o que trás diversão e alegria entre as pessoas e nas situações.
   Quem tem a Vênus em Gêmeos precisa de estímulos intelectuais e se expressar nos relacionamentos. Explica e racionaliza o amor, expressa constantemente o que sente.
   Pessoas refinadas e criativas perdem o interesse quando o parceiro for caseiro ou grosseiro. O amor geminiano precisa ser estimulante intelectualmente, divertido e pode parecer muito superficial por essa razão, não é difícil encontrar geminianos envolvidos com mais de um parceiro ao mesmo tempo.
   Este posicionamento da Deusa do Amor e da Beleza não saber lidar com emoções fortes, pois são pessoas muito racionais. Provável que fuja de relações muito intensas, preferindo pretendentes que deixem sua vida mais livre.
   Em Gêmeos, a sexualidade é vivida de forma mental, ou seja, tem fascinação por pessoas bem-humoradas, que transformam o sexo em uma inteligente e divertida brincadeira. Sentem atração por pessoas que pareçam curiosas ou irradie algo de diferente ou exótico na personalidade. Para que suas relações funcionem precisam sentir que o outro lhe oferece espaço e liberdade. Caso contrário poderá partir para outra relação rapidamente.
   Em tempos de Vênus em Gêmeos trocar idéias, buscar entendimento, expressar idéias e opiniões, debater conceitos e encontrar novas possibilidades para resolver questões emperradas e que até o momento não conseguimos solucionar. Esta Vênus beneficia as idéias alternativas e a multiplicação das soluções possíveis para velhos problemas.
   Classificada como pouco apaixonada, aparentemente por Gêmeos ser regido pelo andrógino Mercúrio, que de alguma forma dilui a sensualidade. Inteligente, brincalhão e coquete seduz pelo raciocínio ágil, vivo, divertido e alegre.
Gêmeos é o signo sedutor do zodíaco que conquista pela conversa animada, tem aquela "cantada" irresistível. Essa Vênus geminiana tem muitas histórias para contar, porém nada dramática repudia a possessividade e rotinas.
   Charmosa, volúvel e emocionalmente distante, a Vênus em Gêmeos ama e deixa de amar com facilidade, preferindo parceiros intelectuais e intensos.
   São generoso, amistoso e desprendido, gosta e precisa de muita liberdade. Tem muitas ocupações ao mesmo tempo, todas ligadas á beleza e ao prazer, voltadas para o sexo direta e indiretamente. A natureza é curiosa e dá vontade de experimentar tudo o que a vida tem a oferecer, o que costuma ser um risco.    Falta principalmente constância nos empreendimentos e envolvimentos.
   Galanteadores, despreocupados e inofensivos, os que têm a Vênus em Gêmeos são, em geral, populares. Porém quando confrontados em situações difíceis, podem ser traiçoeiros e mentirosos e inconstantes, ainda que encantadoramente ingênuos, eles são facilmente perdoados. Apreciam conversar e se comunicar festivamente.


Imagem: Deusa Durga, encarnação do feminino e da energia criativa (Shakti).

sábado, 4 de abril de 2015

As Origens da Páscoa

            As Origens da Páscoa

   
   Muito antes de ser considerada a festa da ressurreição de Cristo, a Páscoa anunciava o fim do inverno e a chegada da primavera.
A Páscoa sempre representou a passagem de um tempo de trevas para outro de luzes, isto muito antes de ser considerada uma das principais festas da cristandade. A palavra "páscoa" – do hebreu "peschad", em grego "paskha" e latim "pache" – significa "passagem", uma transição anunciada pelo equinócio de primavera (ou vernal), que no hemisfério norte ocorre a 20 ou 21 de março e, no sul, em 22 ou 23 de setembro.
   De fato, para entender o significado da Páscoa cristã, é necessário voltar para a Idade Média e lembrar dos antigos povos pagãos europeus que, nesta época do ano, homenageavam Ostera, ou Esther – em inglês, Easter quer dizer Páscoa.
   Ostera (ou Ostara) é a Deusa da Primavera, que segura um ovo em sua mão e observa um coelho, símbolo da fertilidade, pulando alegremente em redor de seus pés nus. A deusa e o ovo que carrega são símbolos da chegada de uma nova vida. Ostara equivale, na mitologia grega, a Persephone. Na mitologia romana, é Ceres.
   Os pássaros estão cantando, as árvores estão brotando. Surge o delicado amarelo do Sol e o encantador verde das matas.
   A celebração de Ostara comemora a fertilidade, um tradicional e antigo festival pagão que celebra o evento sazonal equivalente ao Equinócio da primavera.
   Algumas das tradições e rituais que envolvem Ostara incluem fogos de artifícios, ovos, flores e coelho.
   Ostara representa o renascimento da terra, muitos de seus rituais e símbolos estão relacionados à fertilidade. Ela é o equilíbrio quando a fertilidade chega depois do inverno. É o período que a luz do dia e da noite têm a mesma duração. Ostara é o espelho da beleza da natureza, a renovação do espírito e da mente. Seu rosto muda a cada toque suave do vento. Gosta de observar os animais recém-nascidos saindo detrás das árvores distantes, deixando seu espírito se renovar.
   Ostara foi cristianizada como a maior parte dos antigos deuses pagãos.
Os símbolos tradicionais da Páscoa vêm de Ostara. Os ovos, símbolo da fertilidade, eram pintados com símbolos mágicos ou de ouro, eram enterrados ou lançados ao fogo como oferta aos deuses. É o Ovo Cósmico da vida, a fertilidade da Mãe Terra.
   Ostara gosta de verde e amarelo, cores da natureza e do sol.
O Domingo de Páscoa é determinado pelo antigo sistema de calendário lunar, que coloca o feriado no primeiro Domingo após a primeira lua cheia ou seguindo o equinócio.
   A Páscoa foi nomeada pelo deus Saxão da fertilidade Eostre, que acompanha o festival de Ostara como um coelho, por esta razão, o símbolo do coelho de páscoa na tradição cristã. O coelho é também um símbolo de fertilidade e da fortuna.
   A Páscoa foi adaptada e renomeada pelos cristãos, do feriado pagão Festival de Ostara, da maneira que melhor lhe convinha na época assim como a tradição dos símbolos do Ovo e do Coelho.
   A data cristã foi fixada durante o Concílio de Nicéa, em 325 d.C., como sendo "o primeiro Domingo após a primeira Lua Cheia que ocorre após ou no equinócio da primavera boreal, adotado como sendo 21 de março.
A festa da Páscoa passou a ser uma festa cristã após a última ceia de Jesus com os apóstolos, na Quinta-feira santa. Os fiéis cristãos celebram a ressurreição de Cristo e sua elevação ao céu. As imagens deste momento são a morte de Jesus na cruz e a sua aparição. A celebração sempre começa na Quarta-feira de cinzas e termina no Domingo de Páscoa: é a chamada semana santa.


O significado da Páscoa

   A Páscoa é uma festa cristã que celebra a ressurreição de Jesus Cristo. Depois de morrer na cruz, seu corpo foi colocado em um sepulcro, onde ali permaneceu, até sua ressurreição, quando seu espírito e seu corpo foram reunificados. É o dia santo mais importante da religião cristã, quando as pessoas vão às igrejas e participam de cerimônias religiosas.
   Muitos costumes ligados ao período pascal originam-se dos festivais pagãos da primavera. Outros vêm da celebração do Pessach, ou Passover, a Páscoa judaica. É uma das mais importantes festas do calendário judaico, que é celebrada por 8 dias e comemora o êxodo dos israelitas do Egito durante o reinado do faraó Ramsés II, da escravidão para a liberdade. Um ritual de passagem, assim como a “passagem” de Cristo, da morte para a vida.
   No português, como em muitas outras línguas, a palavra Páscoa origina-se do hebraico Pessach. Os espanhóis chamam a festa de Pascua, os italianos de Pasqua e os franceses de Pâques.
   Nossos amigos de Kidlink nos contaram como se escreve “Feliz Páscoa” em diferentes idiomas. Assim: (Faraone – 20/04/2003)
O verdadeiro sentido da Páscoa
Por José Luiz C. Duarte


A festa da Páscoa

   Para entendermos a Páscoa cristã, vamos, sinteticamente, buscar sua origem na festa judaica de mesmo nome. O ritual da Páscoa judaica é apresentado no livro do Êxodo (Ex 12.1-28). Por essa festa, a mais importante do calendário judaico, o povo celebra o fato histórico de sua libertação da escravidão do Egito acontecido há 3.275 anos, cujo protagonista desse evento foi Moisés no comando de seu povo pelo mar vermelho e deserto do Sinai.
   O evento ÊXODO/SINAI compreende a libertação do Egito, a caminhada pelo deserto e a aliança no monte Sinai (sintetizado nos dez mandamentos dado a Moisés). De evento histórico se torna evento de fé. A passagem do mar vermelho foi lembrada como Páscoa e ficou como um marco na história do povo hebreu. Nos anos seguintes ela sempre foi comemorada com um rito todo particular.
   Todo ano, na noite de lua cheia de primavera, os hebreus celebravam a Páscoa, com o sacrifício de cordeiro e o uso dos pães ázimos (sem fermentos), conforme a ordem recebida por Moisés (Ex 12.21.26-27; Dt 12.42). Era uma vigília para lembrar a saída do Egito (forma pela qual tal fato era passado de geração em geração – Ex 12.42; 13.2-8).
   Essa celebração ganhou também dimensão futura com o passar do tempo. E quando novamente dominados por estrangeiros, celebravam a Páscoa lembrando o passado, mas pensando no futuro, com esperança de uma nova libertação, última e definitiva, quando toda escravidão seria vencida, e haveria o começo de um mundo novo há muito tempo prometido.
   A celebração da Páscoa reunia três realidades distintas:
Uma realidade do passado: o acontecimento histórico da libertação do Egito quando Israel se tornou o povo de Deus;
   Uma realidade do presente: a memória ritual (celebração) do fato passado levava o israelita a ter consciência de ser um ‘libertado’ de Javé (=Deus), não somente os antepassados, mas o sujeito de hoje (Dt 5.4);
   Uma realidade futura: a libertação do Egito era símbolo de uma futura e definitiva libertação do povo de toda a escravidão. Libertação esta que seria a nova Páscoa, marcando o fim de uma situação de pecado e o começo de uma nova era.

   Jesus oferecendo seu corpo e sangue assume o duplo sentido da páscoa judaica: sentido de libertação e de aliança. E ao celebrar a Páscoa (Mt 26,1-2.17-20), Ele institui a NOVA PÁSCOA, a Páscoa da libertação total do mal, do pecado e da morte numa aliança de amor de Deus com a humanidade.
   A nova Páscoa não era uma libertação política do poder dos romanos, como os judeus esperavam. Poucos entenderam que o Reino de Deus transcende o aspecto político, histórico e geográfico.
   Hoje, ao celebrarmos a Páscoa, não o fazemos com sacrifício do cordeiro e alimentando-nos com pães sem fermento, pois Cristo se deu em sacrifício uma vez por todas (Jo 1.29; 1Cor 5.7; Ef 5.2; Hb 5.9), como cordeiro pascal, como prova e para nos libertar de tudo aquilo que nos oprime.


Os símbolos da Páscoa

   Nas últimas cinco décadas a humanidade se transformou. O capitalismo tomou conta do mundo e transformou tudo (ou quase tudo) em fonte de capital, de lucro, de consumo. Assim as festas - grande parte de caráter religioso - se tornaram ocasião de um consumo maior. Entre elas temos o Natal, Páscoa, dia das mães, dia dos pais e até o dia das crianças.
   Com a profanização, esses eventos perderam seus sentidos originais, humanos, familiares e religiosos. E hoje a riqueza simbólica das celebrações muitas vezes não passa de coisas engraçadas, incomuns e sem sentido. Por isso, o propósito deste artigo é tentar resgatar um pouco o sentido das coisas, das festas e celebrações e, simultaneamente, refletir sobre o sentido da vida humana.
   Não pretendemos estudar profundamente todos os símbolos da Páscoa cristã, mas mostrar o sentido cristão de alguns deles.


Os ovos de Páscoa

   Na antiguidade os egípcios e persas costumavam tingir ovos com cores da primavera e presentear os amigos. Para os povos antigos o ovo simbolizava o nascimento. Por isso, os persas acreditavam que a Terra nascera de um ovo gigante.
   Os cristãos primitivos do oriente foram os primeiros a dar ovos coloridos na Páscoa simbolizando a ressurreição, o nascimento para uma nova vida. Nos países da Europa costumava-se escrever mensagens e datas nos ovos e doá-los aos amigos. Em outros, como na Alemanha, o costume era presentear as crianças. Na Armênia decoravam ovos ocos com figuras de Jesus, Nossa Senhora e outras figuras religiosas.
   Os ovos não eram comestíveis, como se conhece hoje. Era mais um presente original simbolizando a ressurreição como início de uma vida nova. A própria natureza, nestes países, renascia florida e verdejante após um rigoroso inverno.
   Em alguns lugares as crianças montam seus próprios ninhos e acreditam que o coelhinho da Páscoa coloca seus ovinhos. Em outros, as crianças procuram os ovinhos escondidos pela casa, como acontece nos Estados Unidos.
   Antigamente, me lembro, há mais de 20 anos, o costume era enfeitar e pintar ovos de galinha, sem gema e clara, e recheá-los com amendoim revestido com açúcar e chocolate. Os ovos de Páscoa, como conhecemos hoje (de chocolate), era produto caro e pouco abundante.
   De qualquer forma o ovo em si simboliza a vida imanente, oculta, misteriosa que está por desabrochar.
   A Páscoa é a festa magna da cristandade e por ela celebramos a ressurreição de Jesus, sua vitória, sua morte e a desesperança (Rm 6.9). É a festa da nova vida, a vida em Cristo ressuscitado. Por Cristo somos participantes dessa nova vida (Rm 6.5).

O Chocolate

   Essa história tem seu início com as civilizações dos Maias e Astecas, que consideravam o chocolate como algo sagrado, tal qual o ouro. Os astecas usavam-no como moeda.
   Na Europa aparece a partir do século XVI, tornando-se popular rapidamente. Era uma mistura de sementes de cacau torradas e trituradas, depois juntada com água, mel e farinha. O chocolate, na história, foi consumido como bebida. Era considerado como alimento afrodisíaco e dava vigor. Por isso, era reservado, em muitos lugares, aos governantes e soldados. Os bombons e ovos, como conhecemos, surgem no século XX.


Os Coelhos

   A tradição do coelho da Páscoa foi trazida para as Américas pelos imigrantes alemães em meados do século 18. O coelho visitava as crianças e escondiam os ovinhos para que elas os procurassem.
   No antigo Egito o coelho simbolizava o nascimento, a vida. Em outros pontos da terra era símbolo da fertilidade, pelo grande número de filhotes que nasciam.
Eles também têm a ver com a vida, mas à abundância da vida, inesgotável, de se multiplicar sem se esgotar. Qual a relação disso com os coelhos?
Cristo, para o cristianismo, é essa Vida Nova, inesgotável e abundante.
   A liturgia do Sábado Santo e do Domingo da Páscoa está repleta de símbolos. Vejamos alguns deles:


O Fogo

   No Sábado Santo a celebração é iniciada com a bênção do fogo, chamado de “fogo novo”. Os agricultores, desprovidos de tecnologia e de conhecimento, utilizam o fogo, uma técnica milenar e primitiva, para limpar o terreno que será destinado ao plantio. Nesse caso o fogo limpa aquele espaço do mato das ervas daninhas e de tudo aquilo que prejudica ou é obstáculo para o plantio. Em grandes incêndios florestais o fogo aparece como uma força destruidora e às vezes incontrolável e invencível, como aconteceu recentemente nos Estados Unidos e Grécia.
   Na liturgia, Cristo é esse fogo que veio limpar o mundo do pecado, da desesperança, do ódio pregando e instaurando o Reino de Deus (MT. 3.11; MT 13.40; Lc 12.49; Hb 12.29). A Sua ressurreição mostra que Ele destruiu até a morte, o grande medo humano. O pecado foi vencido pela graça de sermos filhos de Deus, templos de Deus (Gl 4.7; Rm 8.14). O ser “imagem e semelhança de Deus” descrito na criação, conforme o livro do Gênesis (Gn 1.26), foi restaurado por Ele. A esperança por um mundo novo, justo e solidário foi reacendida.


A Água

   Em nossa vida diária, utilizamos esse bem precioso para matar nossa sede, para limpar de nosso corpo a sujeira e suor, para fazermos comida e para limpeza doméstica. A água é também alimento principal das plantas e meio de vida dos animais aquáticos. Ela também pode ser sinônimo de destruição, como acontece nas grandes enchentes.
   Para o cristianismo: Cristo é a verdadeira Água (Jo 4,9-15); a Água da vida que livra para sempre o homem do egoísmo e da maldade, desde que ele queira beber dessa Água; a morte e ressurreição de Jesus destruiu para sempre a incerteza do futuro e própria morte trazendo à humanidade o verdadeiro sentido da vida.
   O batismo é a resposta do ser humano à proposta de Deus. Por isso após a bênção da água se realiza a renovação das promessas batismais (Rm 6.1-11).
A aspersão do povo com água benta simboliza a nossa disposição em nos limpar de tudo aquilo que fere e prejudica o outro.


O Cordeiro

   O cordeiro é o símbolo mais antigo da Páscoa. No Antigo Testamento, a Páscoa era celebrada com os pães ázimos (sem fermento) e com o sacrifício de um cordeiro como recordação do grande feito de Deus em prol de seu povo: a libertação da escravidão do Egito. Assim o povo de Israel celebrava a libertação e a aliança de Deus com seu povo.
   No Novo Testamento, Cristo é o Cordeiro de Deus sacrificado uma vez por todas em prol da salvação de toda a humanidade. É a nova Aliança de Deus realizada por Seu Filho, agora não só com um povo, mas com todos os povos.


Óleos Santos

   Na antiguidade os lutadores e guerreiros se untavam com óleos, pois acreditavam que essas substâncias lhes davam forças. Para nós cristãos, os óleos simbolizam o Espírito Santo, aquele que nos dá força e energia para vivermos o evangelho de Jesus Cristo.


Pão e Vinho

   O pão e o vinho, sobretudo na antiguidade, foram a comida e bebida mais comum para muitos povos. Cristo ao instituir a eucaristia se serviu dos alimentos mais comuns para simbolizar sua presença constante entre e nas pessoas de boa vontade. Assim, o pão e o vinho simbolizam essa aliança eterna do Criador com a sua criatura e sua presença no meio de nós.
   O porquê da Páscoa não ser no mesmo dia todo ano? A origem é a Páscoa dos judeus, comemorada sempre no domingo da primeira lua cheia da primavera (outono para nós do hemisfério sul). Isso ocorre entre 22 de março e 24 de abril.


Conclusão

   Para nós, os cristãos, o centro de nossa fé será sempre Cristo que morreu e ressuscitou para nos mostrar que o Reino de Deus pregado por Ele está presente e vivo entre nós. A utopia de um mundo irmão, de paz e solidariedade é possível e é esse Reino. A vida, a morte e a ressurreição de Jesus são a concretização dessa utopia (Lc 17.21; Lc 21.28-33). A partir desses pressupostos todos os símbolos são fáceis de serem entendidos.


A Páscoa Judaica

Ágabo Borges de Souza

   A Páscoa judaica é marcada sobretudo pela refeição (Seder) pascal, que é feita em família. Além do jantar em família, eram celebrados ritos no templo, incluindo o sacrifício do cordeiro, hoje não se celebram mais esses ritos, mas há leituras nas sinagogas.
   No jantar da Páscoa há alguns elementos importantes como o cordeiro assado, pães ázimos, ervas amargas, ervas doces e o molho doce com cor de tijolo. Na época do templo o cordeiro pascal era sacrificado no próprio templo, porém com sua destruição isso não foi mais possível, mas ficou a lembrança. Pois, na bandeja da páscoa sobre a mesa do Seder, deve ter um osso grelhado, para lembrar do cordeiro e um ovo, “para lembrar as oferendas festivas que acompanhavam os sacrifícios” (Mansonneuve, Festas Judaicas, p. 31). Talvez venha daí nossa tradição do “ovo da Páscoa”, tão condenado por muitos hoje.
   O jantar da Páscoa tem um caráter eminentemente didático, ele ensina às gerações mais novas a Torah oral, pois o filho mais novo pergunta o sentido de cada elemento e o pai ou oficiante responde com base nos textos da Torah, conforme ensinou Hillel e Gamaliel. O rabino Gamaliel dizia: Quem não explicou os três elementos que acompanham a Páscoa não cumpriu com sua obrigação. Essa explicação se dá no Seder como resposta às perguntas do filho menor.
O Cordeiro Pascal (pesah) "é o sacrifício da páscoa de Jahwé, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu os egípcios e livrou nossas casas" (Ex 12.27).
   O Pão Ázimo (matsah) simboliza a falta de tempo de fermentar a massa do pão na saída do Egito. “E cozeram bolos ázimos da massa que levaram do Egito, porque ela não tinha levedado, porquanto foram lançados do Egito; e não puderam se deter, nem haviam preparado comida.” (Ex 12.39).
   As Ervas Amargas (maror) têm seu lugar porque os egípcios tornaram a vida dos israelitas amarga com o sofrimento da escravidão. “Assim lhes amargurava a vida com pesados serviços em barro e em tijolos, e com toda sorte de trabalho no campo, enfim com todo o seu serviço, em que os faziam servir com dureza (Ex 1.14)”. Hillel introduz ainda o molho doce, cor de tijolo, lembrando a produção de seu trabalho, no qual é embebida a erva amarga para comer, pois a amargura da servidão se tornou em doçura, graças à salvação. Esse também será o sentido das ervas doces.
   O aspecto didático da Páscoa é prescrito em Ex 12.25-26. Há no Midrasch a apresentação de quatro filhos, que representam quatro posturas diante da cerimônia.
1. O sensato, que quer aprender o sentido da Páscoa, por compreender ser ordenança de Jahwe;
2. O insensato, que não se compreende como parte da comunidade pascal, se excluindo de sua própria origem;
3. O ingênuo, que desconhece o sentido e é esclarecido;
4. O que não sebe fazer pergunta a este é explicado por iniciativa do pai.
   A Páscoa judaica é assim, rica em sentidos pois representa uma atualização da libertação de Deus da escravidão egípcia, com uma oportunidade de ensino doméstico da Torah, mantendo as gerações participantes da ação libertadora de Jahwe na história.


(Mário Natho)