Translate

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Lua em Capricórnio

              Lua em Capricórnio

   "Com o Sol chegando aos 03º de Sagitário: Um templo, no frontão do qual se lê uma inscrição. Diante do portal, uma mulher, aureolada como uma Madona, de cujas mãos se prolongam raios fluídicos, estende os bracos em um gesto de proteção sobre dois grupos, um de amigos, o outro de inimigos ameaçadores. Um homem sentado sobre um carneiro". (Símbolos Sabeus - Graus Simbólicos)“Cada grau do Zodíaco carrega um símbolo, e este símbolo revelará o significado de tudo o que se encontrar neste grau, seja um planeta, uma cúspide ou qualquer outro ponto abstrato” (Dane Rudhyar).
   A Lua estará em Capricórnio onde fará conjunção com Plutão e quadratura com Urano em Áries, a partir das 14:32 de 24/11, horário de Brasília, até às 17:23 do dia 26/11/2014.
  Em Capricórnio a Lua potencializa a sobriedade, ficamos mais severos e cientes de nossas responsabilidades, preocupados com o tempo e a realidade. Estimulados a realizar sem desperdícios de energia e recursos.
   Discutir e planejar a longo prazo, iniciar projetos que necessitem de persistência, paciência e disciplina, tudo nestes dias tende ser mais demorado do que o de costume.
   Capricórnio rege os dentes, cabelos, ossos, joelhos e cartilagens, o que pode proporcionar aparecimento ou agravamento de sintomas nestas partes do corpo, não é aconselhado cirurgias nestas áreas. 
   O aspecto com Urano trás dificuldade para lidar com o controle e obrigações de rotina, podem surgir explosões emocionais com amigos e familiares. As palavras ditas com excesso de franqueza acabam levando a atitudes rudes.
   A conjunção com Plutão estimula as emoções compulsivas e explosivas, medo de perder e de ser abandonado. Isto trás desejo de manipular, controlar e manter situações ou pessoas, mesmo que isto provoque fracasso, infelicidade e destruição. Estaremos extremamente passionais.
   As paixões intensas são próprias deste aspecto, ciúmes, problemas sexuais e intolerâncias surgem com muita força nestes períodos.
   Os relacionamentos limitadores, que escravizam e oprimem, podem ser rompidos e surgir necessidade de confrontar emoções e sentimentos.
   Ampliar limites, viabilizar possibilidades, rever as estruturas que construímos para nos sustentar e que muitas vezes se transformam em muros cerceadores da nossa liberdade de escolha, nos aprisionam em nossos conceitos, preconceitos e pretensas necessidades.