Translate

terça-feira, 11 de março de 2014

Trânsitos, Quíron em Peixes, Karma e Astrologia

     Trânsitos, Quíron em Peixes, Karma e Astrologia
   Vivenciado o segundo retorno de Saturno, tenho Saturno a 15°Escorpião na casa X, e me expirando no colega astrólogo António Rosa do blog Cova do Urso, que nos presenteou com uma análise muito interessantes e corajosa, que me fez rever meus conceitos rígidos, de sua experiência com a quadratura de Plutão com seu Netuno Natal http://cova-do-urso.blogspot.pt/2014/01/plutao-em-transito-em-quadratura.html. Resolvi enfrentar o meu Saturno de frente e ver que ao mesmo tempo que quero me expor, me limito em concepções de exercício profissional desnecessárias, que só enfatizam os limites deste Saturno rígido e potente, tenho Capricórnio na casa XII, e resolvi, apoiada pelo revolucionário trígono exato de Urano em Áries com o Sol natal em Sagitário na casa X, escrever na primeira pessoa, contribuir com a minha experiência pessoal ao vivenciar o trânsito de Quíron e Netuno em Peixes (definição no final do texto) pela minha casa II (experiência na e com a matéria) e Plutão em Capricórnio prestes a chegar a cúspide da minha casa XII.
   Para isto devo informar que o meu Quíron natal é em Capricórnio na casa XII (definição no final do texto), faço pelos outros o que não consigo fazer por mim, conclui que no exercício da minha profissão, Astróloga, sempre soube disto, repeti milhares de vezes na interpretação dos muitos Mapas que interpretei ao longo destes 25 anos de profissão. Escrevi vários textos para este blog sobre o assunto, e de repente as coisas começam a fazer sentido quando Plutão em trânsito faz sextil com o Sol, Netuno e Quíron em Peixes e com todos os planetas que tenho em Escorpião na casa X, Vênus, Saturno e Mercúrio, além da Lilith conjunta com todos eles.
   A revolução que Urano em Áries vem anunciando traz rupturas e mudanças inexoráveis, que estão acontecendo nos comportamentos da humanidade e começa em cada um individualmente, que multiplicado gera a mudança do estágio evolutivo do planeta. Devo lembrar que nos trânsitos dos trans saturninos, Urano, Netuno e Plutão, não temos escolhas, eles pontuam estágios a serem cumpridos no planeta, eras, ciclos universais, aos quais estamos atrelados. Cumprimos ou somos descartados através das doenças mentais, físicas, desastres e mortes. Somos seres do e no Universo e através da linguagem astrológica e na interpretação de que cada um de seus estudiosos, lendo nosso Mapa Natal, temos uma orientação, que nos ajuda e vislumbrar uma função, missão ou papel a ser cumprido (MC/casa X, casa de Capricórnio que é regido por Saturno, o Senhor do Carma), que se interpreta através do signo que temos no Meio do Céu e nos planetas que habitam a casa X, entre outras coisas que neste post não vem ao caso.
   O que me motiva a escrever sobre isto é porque acredito que os trânsitos planetários não indicam o bem ou o mal, o bom ou o ruim, determinantes do fracasso ou sucesso dos encaminhamentos que damos as nossas vidas, precisamos estar preparados, conscientes e sintonizados, são indicações que precisam encontrar eco para não serem verdadeiros desastres quando se trata dos trans saturninos, e que colaboram para a interpretação apocalípticas de alguns, principalmente as mais tensas como algumas conjunções, oposições ou quadraturas. Acredito que se não aprendemos por sabedoria vamos aprender pela dor, e a minha prática de Quíron em Capricórnio na XII me habilita a ajudar, a me comover com a dor alheia, que é a minha dor em assumir o meu papel, a minha missão, que pode contribuir e me libertar do ostracismo autoimposto, escondida em conceitos e em noção filantrópica dos meus talentos e conhecimentos, angariado em quase 60 anos de idade e em 25 anos de dedicação aos estudos da Astrologia, onde desenvolvi uma visão pessoal deste conhecimento, com a profundidade e poder de todos os meus planetas em Escorpião na casa X. Como se diz no popular: Sair do armário! Assumir.
   Estou me deparando com o inexorável do trânsito de Plutão em Capricórnio, minha casa XII, ou encaminho a revolução que Urano em trânsito por Áries na minha casa III, ideias, pensamento e comunicação, paro de confundir ambições e apego material com realização profissional o que bloqueia minhas atitudes e me encastelam no trono dos meus conhecimentos experimentados, que de muito me serve na condução e sustento suficiente da minha vida pessoal e material, que avalio neste momento extremamente satisfatória em muitas áreas, mas ainda insuficiente no quesito expor, compartilhar, contribuir e debater experiências em prol do desenvolvimento da abordagem astrológica.
   Comecei a dois anos a me expor, muito timidamente através da criação de uma página no Facebook: Beth F Bórba Astrologia, e fiz o Pensando o Céu, novembro 2012, a pouco mais de um ano, escrevendo freneticamente até dezembro de 2013 onde parei para elaborar melhor a linha promover, debater e disponibilizas Astrologia. Promover até promove disponibilizando definições cartesianas e pouco ousadas dos símbolos. Mas estou sendo coerente com o uso que acredito que esta linguagem deve ter? Propor linha de interpretação? Até que sim, ensaiei alguns artigos que remetem a visão que desenvolvi nestes anos todos de prática e estudos, mas não são suficientemente representativos e elucidativos.
   Meu Quíron natal em Capricórnio na casa XII me ensinou, ajudando as pessoas a se desenvolverem profissionalmente, que preciso curar uma ferida cármica, me responsabilizar e divulgar o que aprendi ensinando, pesquisando e aplicando, superando as minhas exigências e ignorância, e encontrando caminhos. Expor a minha visão desta milenar linguagem, sei que não estou só, que venham os pares e opositores, para um debate respeitoso e ético, em prol do desenvolvimento da Astrologia. Reservo-me o direito de não me desgastar com debates pífios de egos, falsos mestres ou gurus iluminados.
   Minha casa XII, preste a receber Plutão que vem fazendo explosões e desmoronamentos nas estruturas, que podem afetar a minha saúde física e psíquica, mas que se bem compreendido e encaminhado, a leitura do Mapa Natal por um profissional qualificado pode ajudar e muito, pode ser um agente transformador no cumprimento da minha missão nesta encarnação (Meio do Céu em Escorpião e Plutão em Leão na casa VII). Conectada com os ciclos e o desenvolvimento do meu carma pessoal com o olho nos acontecimentos do coletivo.
   Quíron em Peixes em trânsito pela minha casa II dissolve auto enganos e traz à tona, com o suporte de uma vida dedicada a estudar, praticar e pensar, consciente que só nos ajudamos ajudando ao próximo, que não somos ilhas e sim um conjunto chamado de Humanidade, onde o que acontece para um se reflete no todo. Só assim estou adquirindo coragem e equilíbrio para sair do ostracismo protetor e limitador para quem tem o Sol em Sagitário na casa X (quadratura Lua em Peixes na II), Ascendente em Aquário com Marte na I em Aquário oposto a Plutão em Leão na casa VII e Urano e Júpiter conjuntos em Câncer na VI.
   Caminhei os caminhos do desenvolvimento pessoal através dos questionamentos e na busca das respostas, me encontro apta a contribuir num nível mais abrangente e transformador com a linguagem que foi minha parceira e objeto de estudo, estudando, praticando e analisando resultados.
Abaixo alguns fragmentos de textos que escrevi neste ano e pouco de existência deste blog, sobre:
   Quíron em Capricórnio ou na casa X encontra dificuldade de encontrar seu papel no mundo, profundo sentimento de rejeição da mãe. Seu dom é ajudar as pessoas crescerem profissionalmente. 
   Quíron em Peixes ou na casa 12 tem um forte sentido do transpessoal e de coletivo, uma forte identificação com o caos, com aquilo que se dissolve e um desejo secreto de regressar à unidade, ao uno e indivisível.
   Outro vínculo a este signo e casa é a possibilidade da pessoa sentir o isolamento, as tribulações e as incapacidades que a deixam impotentes perante a vida e ao mundo, se tornando fonte de problemas que determinam dificuldade em se encontrar e definir a individualidade, dar uma direção pessoal para a vida. Aí surgem os inimigos ocultos, vítimas de enganos, desilusões, sacrifícios e, eventualmente, tentarem escapar destas situações através do uso de drogas. Se bem orientados pode se dedicar à meditação e a processos de relaxamento, onde, com relativa facilidade atingem o êxtase.
   Este posicionamento pode gerar estranhos sentimentos de culpa como se fossem os responsáveis por tudo que acontece. Raramente sabem a causa desta sensação que os acompanha pela vida. Devido à sensação de serem vítimas permanentes, somatizam essas questões, atraindo para si doenças graves.
   Quíron em Peixes ou na casa doze reflete uma grande sensibilidade para com o sofrimento, atenção para com os problemas coletivos pouco divulgados ou ocultos. Esta posição pode gerar terapeutas, curadores e reformadores que procuram no inconsciente coletivo as forças e as soluções para ultrapassarem os problemas crônicos da humanidade. Muitos deles trabalham longe da atenção pública.
   Com este posicionamento a pessoa pode assumir uma personalidade desapegada e totalmente despojada perante a vida, mas de forma consciente e criativa, procurando ultrapassar as limitações e transmutar os seus próprios sofrimentos, complexos cristalizados através da autorrenúncia doadora e da prática da espiritualidade, regenerar a si e aos outros.

   Com este texto pretendo iniciar uma séries de interpretações de trânsitos, aspectos e posicionamentos, integrando-os a prática cotidiana, escolhas e atitudes frente a vida. Que contribuição trazem para o nosso autoconhecimento, evolução, sabedoria e desenvolvimento pessoal.
   Não posso esquecer, o que também justifica este texto, o ingresso da Lilith em Leão, texto neste blog::http://www.pensandoceu.com.br/2014/03/lilith-em-leao-desde-o-dia-04-de-marco.html#.UxzFBPldUs8, na minha casa VI e se encaminhando para a casa VII onde tenho Leão na cúspide.