Translate

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Áries, o 1º Trabalho de Hércules

            Áries, o 1º Trabalho de Hércules

   “A Captura da Éguas Antropófagas” - O Aprendizado do Controle da Mente

   Diomedes, filho de Ares, governa uma terra de pântanos onde criava éguas e cavalos para a guerra. Os cavalos eram selvagens e as éguas ferozes, diante dos quais os homens tremiam, pois elas matavam todos que cruzavam seu caminho e procriavam sem cessar cavalos extremamente selvagens e perversos.
   Hércules recebeu a tarefa de capturar as malignas éguas e dar fim as suas atrocidades. Para isto Hércules chamou seu inseparável amigo Abderis. Após planejar seus atos cuidadosamente, os dois seguiram os cavalos soltos pelo pântano da região e, finalmente, encurralaram as éguas bravias num campo onde não havia espaço para que se movessem. Lá ele agarrou-as e amarrou-as dando gritos de alegria pelo sucesso alcançado. Tão feliz se sentia que julgou indigno de si conduzir as éguas até Diomedes e para isto chamou Abderis, lhe deu a tarefa e seguiu adiante. Mas Abderis era fraco e teve medo. Não conseguiu conter as éguas que se voltaram contra ele e mataram-no, fugindo em seguida.        Hércules retomou à sua tarefa, mais sábio, preso na dor, humilde e abatido. Procurou os cavalos por toda a parte, deixando o amigo morto no chão. Prendeu novamente os cavalos e conduziu-os ele mesmo. Mas Abderis estava morto. Os cavalos foram conduzidos a um lugar de paz para serem domesticados e adestrados. O povo aclamava Hércules como libertador e salvador de suas terras. Mas seu amigo estava morto e Hércules sabia que o 1º Trabalho estava feito, e que havia uma importante lição a aprender desta tarefa antes de progredir.
   Este 1º Trabalho está relacionado ao signo de Áries que governa a cabeça, portanto é um signo mental. Todos os começos se originam no plano mental e na mente do criador. Consequentemente, é em Áries que começa a correta direção e a correta orientação de Hércules. O cavalo simboliza a atividade intelectual, o cavalo branco representa a mente iluminada do homem espiritual, o cavalo negro a mente inferior, com suas imagens falsas e errôneos conceitos humanos. O significado desta prova agora já está mais evidente,    Hércules tinha que começar no mundo do pensamento para obter o controle mental. As éguas do pensamento vinham produzindo cavalos guerreiros, que atreves dos pensamentos errados, da palavra errada e de ideias errôneas, devastavam os campos.
   Uma das primeiras lições que todo principiante deve aprender é o tremendo poder que exerce mentalmente, e a extensão do mal que ele pode causar no meio que o circunda, através das “éguas reprodutoras da mente”. Por isto ele tem que aprender o correto uso da sua mente, e a primeira coisa a fazer é capturar as éguas e providenciar para que não gerem mais cavalos guerreiros.
   Aquele que quer seguir o Caminho, basta que dedique um único dia para observar os pensamentos, observar que quase todo o tempo a maldade, o amor à fofoca e a crítica estão sendo fertilizados pelo egoísmo e a ilusão.
   Hércules compreendeu o mal que as éguas estavam causando e correu em socorro das pessoas, determinado a capturá-las, porém ele superestimou-se quando não percebeu a potência e a força que elas possuiam, tanto que as entregou a Abderis, o símbolo do eu inferior pessoal. Hércules, a alma, e Abderis a personalidade, juntos eram necessários para guardar as éguas. Sozinho Abderis não tinha força suficiente, por isto foi morto.
   Assim funciona a Grande Lei, pagamos em nossas próprias naturezas o preço pelas palavras incorretamente proferidas e pelas ações mal julgadas. Assim, uma vez mais, a alma na pessoa de Hércules teve que lidar com o pensamento errôneo, e somente mais tarde ele consegue realmente atingir o controle total dos processos de pensamento e de sua natureza.



Bibliografia: Os Trabalhos de Hércules – Alice A Bailey