Translate

quarta-feira, 27 de março de 2013

As Casas Astrológicas e Significados


                  As Casas Astrológicas e Significados

   As casas astrológicas são as divisões dos 360° da eclíptica em doze partes de 30°. Cada uma representa uma área específica da vida. Agrupam-se em 12 setores, todo o universo de afazeres, os doze trabalhos de Hércules, que os seres devem se dedicar.
   O mapa é calculado através do horário de nascimento e o signo que desponta a Leste, local onde o Sol nasce todo o dia, nesta hora exata é o que chamamos signo Ascendente. Partindo deste cálculo, encontramos através de um sistema de casas, as outras casas do mapa natal. Sua mandala é feita no sentido anti horário.
O Ascendente é o ponto que determina a Casa I, entrada e trajetória do espírito, Sol, no plano material, influencia na aparência, estilo e o que entendemos por identidade, o ego. Limite pelo qual nosso livre-arbítrio vai transitar por toda nossa vida.
Casa II – Valores, bens materiais e o como nos sentimos seguros. Como ganhamos dinheiro, riquezas materiais e não materiais. Que talento possuiu para desenvolver e estruturar a vida na matéria.
Casa III – Como nos relacionamos com o meio próximo, o que nos cerca, irmãos, vizinhos e viagens curtas. Pensamento, lógica formal e mente concreta. Como nos comunicamos e elaboramos conceitos práticos e expressamos nossos pensamentos.
Casa IV – Fundo do Céu – Vida privada, família e origem. Primeira infância e bases da formação da vida, raiz, o que se trás, DNA. Herança do pai e final da vida. Como vemos nosso lar e desenvolvemos nossa segurança emocional.
Casa V - O que cada um cria a partir da consciência da própria identidade, setor que representa o potencial criativo de cada um, os filhos, criatividade e criações. É a casa dos romances e das conquistas amorosos, sexo como diversão. Representa a capacidade executiva, liderança e o alter ego.
Casa VI - O dia-a-dia, a rotina de cada um, a saúde e como cuidamos dela. Como nos relacionamos com empregados e colegas. Doenças agudas e somatização. Nossos hábitos de higiene, troca e digestão das informações.
Casa VII - Descendente – Nesta casa encontramos o complemento ao que somos, por isto defini-se como a casa dos relacionamentos. Representa o que cada um busca no outro, o que cada pessoa atrai em suas parcerias, casamentos, associações e também inimizades.
Casa VIII - Representa o sexo e a morte, não apenas no sentido físico, mas a forma como as coisas são concluídas. Crises e mudanças radicais na vida, espaço do oculto e secreto em nós. Sexualidade, magia e poder.
Casa IX -  O setor que mostra nossa relação com o meio ambiente mais amplo, os parentes distantes, as viagens longas, o pensamento filosófico pessoal. Como buscamos e desenvolvemos o conhecimento em alto nível, estágio superior da mente. Como buscamos um sentido maior para nossas vidas  
Meio do Céu é o ponto que determina a Casa X, papel que cabe a cada um na sociedade, o chamado que se recebe para realizar algo a serviço de um todo maior, missão. Reputação, prestígio e nossa imagem pública. Diz respeito à mãe e ao que abala ou trás reconhecimento público, nosso legado e síntese da história que vamos contar com nossa existência.
Casa XI - São os ideais mais amplos de cada um, as associações que fazemos em nome destes ideais, as amizades e a que vibração – grupo social – pertencemos. Se ou como lutamos, por causas coletivas, como participamos na sociedade e como vemos o mundo. Define nossa escola de pensamento.
Casa XII - Esse misterioso setor revela, principalmente, a sombra sabotadora, secreta que cada um carrega, assim como as condições fundamentais para que cada vida possa alcançar sua realização. “Nascemos sós e morremos sós” é a lição desta casa. Isolamento e marginalização são assuntos deste setor. O quê veio curar nesta vida, as doenças crônicas e mentais.
   As casas angulares I (Asc), VII, IV e X são a cruz Cardinal, início, são as que movimentam, tem rapidez e impacto.
   As sucedentes II, VIII, V e XI são a cruz Fixa, estruturam, estabelecem as ações colocadas em movimento pelas forças das casas Cardinais.
   As cadentes III, IX, VI e XII são da cruz Mutável são as que disseminam e transformam as cardinais e consolidam as sucedentes.
   A saúde adquirida com os cuidados da primeira infância, casa IV, Fundo do Céu, se manifesta nas conquistas da casa V e em possíveis desgastes e manifestações somáticas na casa VI.
   Nossa intuição é ligada as casas I, V e IX, eu sou, eu crio e eu inspiro. A capacidade de realizar o que somos e o que queremos é indicada nas casas II, VI e X(MC).
   A capacidade de trocar informações com o meio ambiente, verificar possibilidades, como e com quem fazer são assuntos das casas III, VII e XI, eu aprendo, eu troco e eu ensino a grandes grupos o que aprendi a fazer.
   As casas IV, VIII e XII dizem respeito as nossas emoções. O passado que me movimenta, as crises, as perdas transformam as emoções que compartilho, faço doação da minha existência em prol de algo maior, assumindo o rico da solidão.