Translate

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Astrologia Básica


                             Astrologia Básica

   Com a intenção de decodificar e apresentar a astrologia como filosofia e forma alternativa de raciocínio, transitar pelo simbólico que amplia e liberta do aprisionamento do literal e formal, coloco os princípios básicos para começar a desvendar este conhecimento milenar, que vem evoluindo com a humanidade ao longo dos milênios e liga o homem ao sistema universal. 
   A referência é o Sistema Solar, Sol, Lua e os planetas, Mercúrio, Vênus, Marte, chamados de pessoais, Júpiter e Saturno de sociais e Urano, Netuno e Plutão os trans-saturninos. Interpretamos a relação angular entre eles e a posição que ocupam na eclíptica, rota aparente da Terra em torno do Sol. A Astrologia é geocêntrica (o centro é a Terra) e tem o Sol como à energia vital de todo sistema, a Lua, satélite da Terra, como referência do emocional e da origem dos eventos no nosso planeta.
   Mercúrio é a mente racional e a comunicação, Vênus o feminino e os valores, Marte a energia masculina e como agimos, Júpiter a expansão e crenças, Saturno os limites e o carma. Urano revoluciona e moderniza, Netuno sublima e transcende e Plutão as forças que se manifestam do inconsciente. O signo e casa que ocupam são determinantes para o aconselhamento astrológico. Esta definição é só um indicativo, para entender esta relação temos que aprofundar os estudos.
   Mapa Astral é o desenho do céu no momento do nascimento. É calculado a partir da posição do Sol, dia, mês, ano, local e horário. Encontramos, em seguida, um ponto no horizonte que chamamos de Ascendente de onde desenvolvemos o traçado do mapa.
   Durante as 24 horas todos os 12 signos passam por este ponto, iniciando no nascer do Sol e do signo que ele ocupa. Quando o Sol nasce, o signo que está no Ascendente é o signo que o Sol está, se passando por Capricórnio, teremos Sol e Ascendente em Capricórnio, e ao longo do dia, de duas em duas horas, todos os outros doze signos ocuparão o Ascendente.
   Chamamos o signo Ascendente de porta de entrada da vida, filtro pelo qual entram todos os Planetas, Sol e Lua inclusive. Ele é nossa primeira impressão e como desenvolvemos nossa caminhada. Ao longo da jornada vamos agindo através dele e recebendo em troca o reflexo. 

   O Ascendente é a imagem que passamos para o mundo, caminho do espírito, o Sol, cenário da nossa passagem neste plano. O signo que temos aí é como o mundo nos vê e como contamos nossa história, oposto temos o signo da casa VII que é o que vivenciamos através dos relacionamentos, projetamos até incorporá-lo a nossa experiência. Estar em harmonia com estes arquétipos é o começo para ficar em paz, com o que somos e com o que representamos. Ele nos diferencia dos demais que possuem o mesmo signo solar.
   Em Áries desenvolvemos de forma impulsiva o nosso signo solar, em Touro lenta e obstinadamente, em Gêmeos de forma comunicativa e assim sucessivamente. No Ascendente começa a compreensão da nossa experiência única, o caminho que traçamos, da o colorido que temos e por qual trajeto caminhamos.

   Signo é a relação existente entre o nome das coisas e as coisas em si, são instrumentos de representação e comunicação. Os signos astrológicos são 12 divisões de 30º do zodíaco, também 12 são as casas da carta natal. 

   A carta astrológica parte do horário de nascimento que marca o Ascendente, partindo dele temos todas as outras 12 casas, setores da vida que são abordados a partir de um determinado grau do signo. Isto significa que todos têm os 12 signos, deverão ser desenvolvidos a partir de algum setor. São determinantes as condições sociais, econômicas, ambientais e familiares de cada um.
 Os signos se dividem pelos quatro elementos: Fogo (ação), Terra (matéria), Ar (pensamento) e Água (emoção). Áries, Leão e Sagitário são do Fogo, Touro, Virgem e Capricórnio da Terra, Gêmeos, Libra e Aquário do Ar, Câncer, Escorpião e Peixes são signos da Água. Esta divisão nos inicia na interpretação de cada signo.

   Cada um possui o seu oposto complementar que chamamos de eixos: Áries/Libra (eu e o outro) e Câncer/Capricórnio (vida privada e vida pública), os quatro compõem a cruz cardinal que aponta para a energia de começo de cada elemento. Touro/Escorpião (meu material e o material do outro) e Leão/Aquário (identidade e coletividade) são da cruz fixa, energia de estabilização e fixação. Gêmeos/Sagitário (pensamentos e filosofia) e Virgem/Peixes (cotidiano e transcendência) da cruz mutável, flexibilidade e evolução.