Translate

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Planetas, Deuses e Urano em Áries

           Planetas, Deuses e Urano em Áries

A relação entre os deuses gregos e todos os mitos, segundo Yung, simbolizam o inconsciente coletivo que é o somatório das motivações profundas compartilhados por toda a humanidade.
Os planetas do Sistema Solar receberam os nomes destes deuses, trazem a influência simbólica que estes arquétipos possuem. Segundo Yung estas simbologias interagem com as nossas vidas num processo chamado de sincronicidade, razão física para manifestação da energia.
O Sol representado por Apolo, filho de Zeus, associado à força, a luz e a alma. É o ser humano na sua forma mais elevada, regente de Leão.

A Lua representa Selena, filha de titãs na mitologia grega, considerada o feminino, a castidade e a maternidade. Representa nossas emoções e rege o signo de Câncer.

Mercúrio é representado por Hermes, o mensageiro dos deuses, se relaciona com o comércio, negociações, palavras e velocidade de movimentos. Rege Gêmeos e Virgem.

Vênus é representada por Afrodite, deusa do amor e da beleza, se associa a sensualidade, a fertilidade e a criação. Rege Touro e Libra. 

Marte é associado a Áries que na mitologia grega é o deus da guerra, por isto se relaciona a força, a luta, a coragem e ao combate. Rege Áries e é o antigo regente de Escorpião, antes da descoberta de Plutão. 

Estes são os planetas pessoais, a partir deles, Júpiter (Zeus) e Saturno (Cronos) são chamados de sociais por terem um ciclo de 12 e 30 anos, representam gerações. Urano, Netuno e Plutão são os trans-saturninos, também já considerados os senhores do apocalipse, falam de ciclos históricos da humanidade. 

O filósofo francês Michel Foucault (1926-1984), seguindo o pensamento de Schopenhauer e Nietzsche, diz que estamos presos dentro dos nossos pensamentos possíveis, determinados por nossa língua, cultura e época que estabelecem para nós um sentido de ordem. 
Nessa ordem criamos nossa identidade e também uma alteridade, que é um estado, qualidade daquilo que é outro, distinto. Existe, porém, uma zona obscura na ordem estabelecida onde há uma aparente confusão e, quando conseguimos nos libertar o suficiente e nos deixar atravessar passivamente, podemos penetrar na região do caos e descobrir novas ordens possíveis. Urano, em seu caminho pelo zodíaco, vai criando lacunas na ordem estabelecida para que essa região de caos possa penetrar na nossa existência, criando e liberando novas maneiras de ordenação do mundo. 
Durante aproximadamente sete anos Urano, regente de Aquário, cria rupturas através de um signo, possibilitando a visão de novas verdades por ele estabelecidas. Uma das características de Urano é seu poder de formar imagens transformadoras a respeito da Humanidade. 
Desde março de 2011 Urano transita por Áries de forma definitiva, depois de retrogradar, e a última vez que esteve neste signo foi de 1927 até 1935, período em que geminou na história a teoria nazista e a segunda guerra mundial, entre tantas outras. Em Áries Urano deixa suas marcas impregnadas de individualidades criativas, originais, polêmicas e nem sempre muito adequadas aos padrões maniqueístas de bem e de mal, caso de Hitler e de outras personalidades que também se destacaram como Roosevelt, Winston Churchill, Mao Tse –tung, Lênin e tantos outros líderes mundiais, me restringindo a política. 
Regente da tecnologia e da inovação rompe com o antigo, mesmo que muitas vezes só vamos nos dar conta das mudanças ocorridas muito tempo depois, caso do período anterior em Áries, que mudou a face da humanidade de forma radical. 
Nesta sua passagem definitiva desde 2011 estamos vendo uma mudança vertiginosa através de tecnologia e das ferramentas de comunicação criadas pelo desenvolvimento tecnológico e científico. As grandes individualidades ficam por conta de Jobs, Gate, Zuckerberg e tantos outros que aí estão e que surgirão até 2016. A diferença fundamental é que o que eles criaram as ferramentas que revolucionaram a comunicação e a informação, tudo o que acontece ao nosso redor sabemos em tempo real, produzimos conteúdos e idéias que todos tem acesso também em tempo real. Possibilitando infinitas individualidades criativas, originais e polêmicas, o que nos faz pensar que precisamos reinventar as estruturas sociais para esta nova humanidade. 
De Netuno e Plutão falamos em outro momento.